Gratidão: a semente da paz


Seja a paz de Cristo o árbitro em vosso coração, à qual, também, fostes chamados em um só corpo; e sede agradecidos (Cl 3.15). 

Calvino comenta o Salmo 30 dizendo: 

Neste Salmo, vendo-se Davi libertado de um perigo muitíssimo grave, não só rende graças a Deus no tocante à sua própria pessoa, mas ao mesmo tempo convida e exorta todos os crentes piedosos a procederem da mesma forma. 

Sejam agradecidos. Estas duas palavras devem fazer parte de nossa vida diária. Infelizmente, encontramos uma sociedade que tem prazer em enfatizar só os aspectos negativos. Somos desconfiados, desesperados, desanimados, mal-encarados, etc. 

Só ficamos agradecidos por “grandes coisas” e por pouco tempo. O que prova que quanto mais temos, mais queremos e mais precisamos para ficar satisfeitos. 

Por isso, os maiores exemplos de gratidão encontramos nas pessoas com maior dificuldade. Quando enfrentamos momentos difíceis, passamos a enxergar a importância de cada conquista positiva. 

Deus se agrada daquele que, no lugar de reivindicar, está pronto a doar; no lugar de resmungar, os seus lábios abrem-se para louvar. 

Quem agradece se fortalece e sua vida tem maior brilho. Um dos grandes benefícios da gratidão é que promove nossa qualidade de vida. 

É muito comum ser agradecido quando nos livramos de um problema ou recebemos uma bênção, mas tão comum também é rapidamente cessar esta gratidão, mesmo se a bênção continuar. 

Que bom será se passarmos este dia sem uma só reclamação. Faça isso neste dia. Aproveite o seu tempo e suas palavras numa atitude de gratidão e você estará plantando no seu coração uma semente chamada paz. 

Gratidão é vida; quando a deixamos, estamos deixando de viver.

Habite, ricamente, em vós a palavra de Cristo; instruí-vos e aconselhai-vos mutuamente em toda a sabedoria, louvando a Deus, com salmos, e hinos, e cânticos espirituais, com gratidão, em vosso coração. E tudo o que fizerdes, seja em palavra, seja em ação, fazei-o em nome do Senhor Jesus, dando por ele graças a Deus Pai (Cl 3.16-17). 
Gratidão é essencial.

Comentários