Encurte as distâncias


Não te furtes a fazer o bem a quem de direito, estando na tua mão o poder de fazê-lo (Pv 3.27). 

Encurte as distâncias. 

O mundo inteiro está cheio de pessoas. Há pessoas caladas que precisam de alguém para conversar. Há pessoas tristes que precisam de alguém que as conforte. Há pessoas tímidas que precisam de alguém que as ajude a vencer a timidez.

Há pessoas sozinhas que precisam de alguém para brincar. Há pessoas com medo que precisam de alguém para lhes dar a mão. Há pessoas fortes que precisam de alguém que as faça pensar na melhor maneira de usarem a sua força.

Há pessoas que julgam que não sabem fazer nada e precisam de alguém que as ajude a descobrir o quanto sabem fazer. Precisam de alguém, talvez de ti ... (Desconhecido). 

Grande é o prazer de poder ajudar alguém. A alegria de viver não consiste apenas em realizações pessoais. A alegria egoísta é de pouca duração. 

Maior alegria temos quando ao nos aproximarmos de alguém e contribuímos para tornar melhor a vida desta pessoa, quando compartilhamos o que somos e temos com os outros. 

Encurte as distâncias. Não perca oportunidade de fazer o bem ao seu próximo. Com a nossa ajuda muitas pessoas podem ser beneficiadas. Pessoas que também serão bênção na vida de outros. A bondade estimula bondade, gestos de paz geram paz. 

Muitos se ocupam com a vingança. Desta forma não somente fazem mal aos outros, como a si mesmos. Às vezes mais mal a si mesmos do que aos outros. 

Mas nós devemos exercitar o amor e a misericórdia. Paulo diz que devemos buscar a paz com todos, até com os que são inimigos. “Não torneis a ninguém mal por mal; esforçai-vos por fazer o bem perante todos os homens” (Rm 12.17). 

Que a cada dia possamos aprender a fazer o bem. Mais do que aprender, que possamos, guiados por Deus, o pai de toda a misericórdia e bondade, praticar boas coisas. “E vós, irmãos, não vos canseis de fazer o bem” (2Ts 3.13). “Afaste-se do mal e faça o bem; busque a paz com perseverança” (SI 34.14 - NVI). 

Encurte as distâncias entre as pessoas. 

Comentários