O Natal de Jesus em Colossenses (5) - Jesus, o Rei e Reconciliador



"e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus" (v.20). - Colossenses 1.19-20 

Neste domingo comemoramos o III Domingo do Advento e daqui há alguns dias estaremos a comorar o Natal do Senhor Jesus. É possível falar de Natal sem Jesus? Não, não existe Natal sem Jesus. Natal é um período de muita alegria. A Igreja se alegra. Os crentes se alegram. O mundo se alegra. Parece até uma coisa paradoxal, mas a verdade é que o mundo se reveste de um clima profundamente alegre. 

Mesmo, os ímpios, aqueles que não creem, são tomados da surpresa de que estão se alegrando neste período. E você pergunta: "Como pode ser uma coisa dessas? O ímpio se alegrar no período do Natal, mesmo não crendo?" A resposta é sobre a Graça comum. Ela se manifesta sobre todos, indistintamente. Só que no final terá o seu aspecto de Juízo. 

Qual o significado do Natal? Para o cristão é um momento celebrativo, de grande alegria, de muita festa, de imensa felicidade. 

O Natal de Jesus deve nos lembrar o que Deus fez por nós enviando Seu Filho Unigênito: 


I - COMO RECONCILIADOR, JESUS É O ILIMITADO AMOR DO PAI NA RECONCILIAÇÃO 
"...e que, havendo feito a paz pelo sangue da sua cruz, por meio dele, reconciliasse consigo mesmo todas as coisas, quer sobre a terra, quer nos céus". (v.20). 

Em João 3.16, no versículo que resume todas as Escrituras Sagradas vemos o nosso Senhor Jesus Cristo dizendo a um homem, chamado Nicodemos: "Porque Deus amou ao mundo de tal maneira que deu o seu Filho unigênito, para que todo o que nele crê não pereça, mas tenha a vida eterna. Porquanto Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que julgasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele". 

Este amor é Ilimitado: 

a) Porque, como Pai, Deus submete seu Filho, à triste e rude existência humana dando-O. 
b) Porque, como Pai, Deus entrega seu Filho. 
c) Porque, como Pai, Deus presenteia o crente com a vida eterna. 

II - COMO RECONCILIADOR, JESUS É O GRANDIOSO PACIFISTA DO PAI 
"E a vós outros também que, outrora, éreis estranhos e inimigos no entendimento pelas vossas obras malignas," (v.21). 

O Profeta Miquéias, cerca de 700 anos assim profetizou: 

"E tu, Belém-Efrata, pequena demais para figurar como grupo de milhares de Judá, de ti me sairá o que há de reinar em Israel, e cujas origens são deste os tempos antigos, desde os dias da eternidade. Portanto, o SENHOR os entregará até ao tempo em que a que está em dores tiver dado à luz; então, o restante de seus irmãos voltará aos filhos de Israel. Ele se manterá firme e apascentará o povo na força do SENHOR, na majestade do nome do Senhor, seu Deus; e eles habitarão seguros, porque, agora, será ele engrandecido até aos confins da terra. Este será a vossa paz" (Miquéias 5.2-5a). 

Ele é o Grandioso Pacifista: 

- Porque é o Príncipe da Paz, conforme profetizou Isaias 9.6. 
- Porque ele apregoou a Paz. "Bem-aventurados os pacificadores, porque serão chamados filhos de Deus." (Mt 5.9). 
- Porque é Ele quem gera a verdadeira Paz - "Deixo-vos a paz, a minha paz vos dou; não vo-la dou como a dá o mundo. Não se turbe o vosso coração, nem se atemorize" (Jo 14.27). 
- Porque Ele nos justificou perante Deus. "Justificados, pois, mediante a fé, temos paz com Deus por meio de nosso Senhor Jesus Cristo" (Rm 5.1). 

III - COMO RECONCILIADOR, JESUS É O PODEROSO MEDIADOR ENTRE OS HOMENS E O PAI 

Há uma história Russa que conta sobre dois homens, um era muito rico, e o outro era o seu servo, que estavam perdidos num lugar, numa noite, porque a neve havia caído e eles não conseguiam encontrar o caminho para casa. 

Na manhã seguinte, os amigos foram à procura deles e encontram o homem rico congelado, com o rosto enterrado na neve. Quando eles o levantaram, encontraram o servo, também enregelado, mas vivo. O servo sobreviveu e disse como o seu senhor, voluntariamente, se deitou em cima dele para aquecê-lo e por isso permaneceu vivo. 

Maxwell Cato conta esta história num dos seus livros, e depois comenta: "Jesus é o mestre que morreu pelos seus servos, ele é o general que fez provisão para os erros de seus soldados. Ele é o Filho do Homem que veio para servir e dar Sua vida como resgate de você e eu". 

a) Em primeiro lugar Ele Se entrega numa manjedoura. 
b) Em segundo lugar Ele Se entrega num ministério de 33 anos. 
c) Em terceiro lugar Ele Se entrega no Suplício de uma Cruz. 

Conclusão
Jesus, o Rei Reconciliador veio para trazer o Ilimitado Amor Pai, como o Grande Pacifista e o Poderoso Mediador. Só no seu sangue e sua Graça, encontramos Paz e Salvação. Portanto, um FELIZ NATAL a você. Um verdadeiro Natal de Cristo, nosso amado Senhor e Salvador.

Tecnologia do Blogger.