Hino 26 - Ao Deus grandioso



1. Senhor meu Deus, quando eu maravilhado
Os grandes feitos vejo da tua mão
EStrelas, mundos e trovões rolando,
A proclamar teu nome na amplidão,


     Canta minh'alma, então, a ti, Senhor:
     Grandioso és tu, grandioso és tu!
     Canta minh'alma, então, a ti, Senhor:
     Grandioso és tu, grandioso és tu!

2. Quando atravesso bosques e florestas
Ouvindo, à brisa, pássaros cantar,
Ou vejo, além, montanhas altaneiras
O teu poder e glória proclamar

3. Quando percebo que na cruz maldita
Por teu amor Jesus morreu por mim
E me livrou do jugo do pecado,
Ali vertendo sangue carmesim

4. Quando, afinal, em resplendor e glória,
Jesus abrir as portas da mansão,
Eu hei de estar de joelhos entre os santos,
Na mais humilde e vera a adoração,

   E então cantar eternamente ali:
   Grandioso és tu, grandioso és tu!
   E então cantar eternamente ali:
   Grandioso és tu, grandiosos és tu!


Informações
Letra: Carl Boberg, 1886.
Tradução: Nathanael Emmerich, 1959
Música: Melodia Tradicional sueca. Harm. em "Blankerburger Lieder"

História
Informação preciosa do Rev. Manoel da Silveira Porto Filho revela que o poema de Carl Boberg, pastor sueco, foi escrito após contemplar o lindo espetáculo de uma tempestade seguida do reaparecimento do sol e arco-íris, na vila de Kroneback.

O poema tinha nove estrofes e foi publicado e divulgado até ser associado a uma melodia tradicional sueca, resultando neste hino precioso.

Traduzido para diversas línguas, é hoje um patrimônio da hinódia universal. Para o português, a primeira tradução foi do Dr. João Gomes da Rocha, em 1910. Foi usada neste hinário a tradução do Rev. Nathanael Emmerich, pastor presbiteriano, feita em 1959 e largamente difundida em nosso país.

Tecnologia do Blogger.