Batismo: Nosso Intuito


O nosso intuito, em escrever sobre o batismo, não é fazer obra polêmica, mas antes obra irênica de conciliação e confraternização.

Muitos dos mal entendidos que existem entre cristãos sinceros poderiam ser desfeitos, se fizéssemos uns aos outros explicações carinhosas dos nossos diferentes pontos de vista e si caridosa e desprevenidamente estudássemos as bases das convicções daqueles que de nós divergem.

Não pretendemos, tão pouco, fazer obra de proselitismo; não queremos que os batizados por imersão abandonem as suas igrejas para passar à nossa; porém, desejamos que estudem e compreendam o nosso ponto de vista.

Acreditamos que, si assim fizerem, se convencerão da sinceridade das nossas convicções alicerçadas em razões que nos parecem boas e que podemos defender inteligentemente.

De quando em vez, surgem extremistas que duvidam ou da nossa inteligência ou da nossa sinceridade e que nos acoimam de filhos desobedientes de Deus, porque não nos batizamos por imersão.

Expondo as razões das nossas crenças, queremos convencer a esses irmãos da nossa boa fé, para que, destarte, desapareçam as suas desconfianças, pois, onde houver desconfianças, não pôde existir o amor fraternal.

Reconhecemos a cultura, a sinceridade e a piedade dos nossos irmãos que não crêem como nós, em questões secundarias e desejamos que eles também respeitem as nossas convicções como igualmente esclarecidas e sinceras.

Para se realizar a união almejada por Jesus na sua oração sacerdotal, é mister que exista esse respeito mútuo e que haja "unidade no essencial, tolerância no secundário e caridade em tudo". Permita Deus que estes nossos estudos possam promover o belo ideal da nossa união em Cristo, com o Pai, e uns com os outros.

Aos que são da nossa fé, desejamos apresentar as provas bíblicas das nossas crenças sobre o modo do batismo e sobre o batismo de crianças, para que possam estar sempre preparados para elucidá-las, quando inquiridos a esse respeito.

Embora nós julguemos serem essas crenças de importância secundaria, há cristãos que lhes dão valor capital, insistem em discuti-las e, até mesmo, fazem proselitismo em torno delas, produzindo, desse modo, grande confusão nos espíritos de crentes novos e inexperientes.

Disso resultam escândalos e é preciso que cristãos maduros e mais esclarecidos deem a esses neófitos confundidos as explicações necessárias para dissipar-lhes as duvidas.

Em resumo, os nossos estudos bíblicos sobre, o batismo têm por fim dissipar faltas de compreensão e desconfianças, da parte dos que não concordam conosco, e, ao mesmo tempo, fornecer aos que são da nossa fé os argumentos bíblicos necessários para a defesa da verdade, como nós a entendemos, sem importar isso na condenação dos que não nos seguem (Marcos 9.38-40)

São Paulo, 7 de Janeiro de 1938

Philippe Landes
Tecnologia do Blogger.