Qual a razão do sofrimento?


Graças ao grande amor do Senhor é que não somos consumidos, pois as suas misericórdias são inesgotáveis - Lamentações 3.22 

Algumas vezes fazemos uma interpretação errada da razão por que sofremos. Entre outras coisas, achamos que é porque estamos sendo castigados por alguma falha. 

Se Deus fosse nos castigar por todos os erros que cometemos, já teríamos sido destruídos. Deus não é vingativo, mas um Deus de misericórdia. Deus conhece nossa vida e o seu conhecimento é uma forma de proteção.

Deus nos conhece para nos proteger e nos ajudar, não para nos punir. Temos de tomar cuidado, porque se pensarmos no sofrimento apenas como castigo, estaremos fugindo de Deus, com raiva dele. 

Não é possível medir o sofrimento pelo número de falhas que cometemos. Nem sempre uma pessoa sofre mais porque é mais pecadora. 

Existem pessoas que nem sofrem tanto e são muito más. Existem outras que, mesmo levando uma vida bondosa, são grandemente afligidas. 

Não devemos ficar tentando entender o porquê de cada sofrimento. Tendo motivo lógico ou não, o sofrimento é sempre uma oportunidade de nos aproximarmos mais de Deus e crescermos. 

No sofrimento nos tornamos mais humildes. No momento da dor, somente o consolo do Senhor pode nos amparar. 


Os amigos ajudam, os recursos financeiros podem ser úteis, mas só o Senhor pode amparar-nos totalmente. No momento do sofrimento fica evidente nossa total dependência e necessidade de Deus. 

Quando somos fracos é que somos fortes, pois nossa força não vem de nós mesmos, mas de Deus. Não devemos ficar parados tentando entender por que estamos sofrendo.

 No sofrimento devemos buscar Jesus, aproximar-nos de Deus. No momento de maior dificuldade, não deve haver dúvida sobre a quem recorrer. 

Com a presença de Jesus, podemos descansar em meio à dor, sabendo que ele está cuidando de tudo e algo positivo pode vir depois que passarmos pelas dificuldades. Quando parece que Deus está mais distante é que realmente sentimos a sua presença. 

Sofrimento: oportunidade para intimidade com Deus.

Comentários