Inimizade perigosa


Mas eu digo a vocês que estão me ouvindo: Amem os seus inimigos, façam o bem aos que os odeiam (Lc 6.27 - João 15.11-14). 

Conta-se uma fábula que uma corça que estava sendo perseguida escondeu-se numa vinha. Ao ver que os perseguidores estavam indo embora, ela achou que estava livre e se pôs a comer a parreira. 

Ouvindo o ruído das folhas, os caçadores voltaram. Viram logo que o animal estava escondido ali atrás e a mataram com dois golpes. 

Castigo merecido - disse a corça ao morrer - Não podia ter feito o mal a quem me havia salvado. Fui punida por fazer mal ao meu benfeitor. 

Stanley Jones diz: 

Os dados estão contra as inimizades. Não arrisque nunca nas inimizades, mas sempre no amor, porque os dados sempre são contra as inimizades nas relações humanas. Quem tenta jogar na vida contra o amor é sempre um parceiro liquidado. 

O grande mal do mundo e nosso é não ouvir o mandamento de Deus que diz que devemos amar e não odiar. Fazer amizades e não inimizades. Perdoar e não exercitar a vingança. Como disse Stanley: “Os dados estão contra as inimizades”. 

Alimentar a inimizade só vai alimentar a discórdia. Muitos problemas que enfrentamos estão relacionados com a nossa atitude errada em relação ao nosso próximo. 

Dores sofremos porque dentro de nós está alojado o ódio, o mau humor, o preconceito. Se vivermos em amor, o mundo será mais amável. 

Em João 15, Jesus fala que devemos viver unidos a ele: “Continuem unidos comigo, e eu continuarei unido com vocês. Pois, assim como o ramo só dá uvas quando está unido com a planta, assim também vocês só podem dar fruto se ficarem unidos comigo” (v.4 - NTLH). 

Jesus demostrou seu grande amor por nós dando sua própria vida para nos salvar. E ele diz que devemos amar como ele nos amou. “O meu mandamento é este: Amem-se uns aos outros como eu os amei” (Jo 15.12). 

Aprendamos com o grande mestre do amor, Jesus. Conhecendo a Cristo, continuemos unidos a ele e ao nosso próximo. 

Busque fazer amigos. 

Comentários