Corrupção


Vos torneis co-participantes cia natureza divina, livrando-vos da corrupção das paixões que há no mundo ’’ (2Pe 1.4b). 

Conta-se que um pai decidiu levar seus filhos ao circo. Ao chegar à bilheteria, pergunta: Olá, quanto custa a entrada? O vendedor responde: RS 30,00 para adultos e R$ 20,00 para crianças de 7 a 14 anos. Crianças até 6 anos não pagam. 

Quantos anos eles têm? E o pai responde: O menor tem 3 anos e o maior 7 anos. Com um sorriso, o rapaz da bilheteria diz: Se o senhor tivesse falado que o mais velho tinha 6 anos eu não perceberia, e você economizaria R$ 20,00. 

O pai responde: É verdade, pode ser que você não percebesse, mas meus filhos saberiam que eu menti para obter uma vantagem, e a lembrança desta tarde não seria especial, na verdade seria terrível para o caráter deles. 

Hoje deixo de economizar R$ 20,00, que não me pertenceriam por direito, mas ganho a esperança de que meus filhos saberão a importância de dizer a verdade. 

Nesta história, além de podermos ver um pai educando seus filhos através de uma atitude correta, podemos ver como a corrupção se encontra não somente nos grandes desvios de dinheiro, mas nos pequenos gestos que nos levam a ganhar vantagem. 

Hoje vemos muitas pessoas protestando contra a corrupção, o que realmente é importante. Não podemos nos silenciar diante do roubo, da exploração e impunidade. 

Mas vemos as mesmas pessoas que denunciam a corrupção a praticarem de forma diferente. O avanço da maldade a cada dia não deve ser usado como desculpa para justificar nossos erros. 

Acredito que realmente precisamos nos posicionar diante de tanta corrupção. Mas não apenas protestando contra os outros, esquecendo dos nossos pecados. 

Precisamos nos posicionar buscando um compromisso com Deus. Precisamos pedir a Deus que, por sua misericórdia e graça, levante homens fiéis e intrépidos para denunciar os erros e anunciar a justiça. Que nós sejamos mais comprometidos em viver e proclamar a verdade. 

O bem deve prevalecer.

Comentários