Batalha Espiritual (4): Saiba quem é o seu Inimigo (Parte 2)


porque a nossa luta não é contra o sangue e a carne... 
... contra as forças espirituais do mal, nas regiões celestes. 
Efésios 6.12 
Em nosso último artigo começamos por abordar as características e táticas que Satanás usa no conflito espiritual contra os filhos de Deus. 

É bom lembrar que tais fatos não foram descritos para que o cristão fique obcecado ou aterrorizado.  A vida do crente deve ser centrada em Deus. Todavia ele deve ser vigilante!

Afinal, como continua Paulo a afirmar, a verdadeira luta de um cristão não é contra “o sangue e a carne”. Em outras palavras, nossa luta não é corporal, não é contra o ser humano.

A nossa batalha é contra um inimigo espiritual. É um conflito espiritual que está “nas regiões celestes”, ou seja, acima deste mundo material. 

Quais as implicações destes fatos? 

Em primeiro lugar, isso significa que nossas dificuldades nessa batalha serão bem maiores do que se tivéssemos que lutar contra homens. Quando há uma batalha envolvendo pessoas, há o embate da força humana, espada contra espada, habilidade contra habilidade. 

Mas as armas humanas não funcionam contra Satanás. Mísseis, revólveres, espadas - nada disso se aplica ao conflito espiritual. A luta contra um inimigo espiritual só pode ser vencida com armas espirituais. 

Daí a importância de se revestir de TODA a armadura de Deus. Sem ela, esteremos completamente vulneráveis e despreparados para a batalha. Paulo vai detalhar essa armadura a partir do versículo 14, portanto falaremos também mais à frente sobre isso.


Em segundo lugar, o fato de nosso inimigo ser espiritual significa que ele não pode ser visto. Sabemos que umas das características dos uniformes militares é a camuflagem, a pintura no traje que faz com que o soldado se misture ao cenário tornando-o quase invisível aos olhos do adversário. 

Um soldado bem camuflado estará em grande vantagem na linha de combate. E a mesma vantagem tem o diabo sobre nós. 

O fato de ser espiritual e invisível, permite que ele invista contra as nossas vidas sem que percebamos sua ação. Ele poderá agir até mesmo se escondendo atrás de coisas que sejam aparentemente boas, mas contrárias à vontade Deus revelada em sua Palavra.

Por tudo isso é necessário que o cristão esteja preparado, vigilante e dependendo inteiramente de Deus!

Para pensar 
A batalha contra o mal é séria e difícil. Mas será que os cristãos estão conscientes de que devem estar preparados e vigilantes? Com tantos experimentando derrota nas suas vidas morais, é necessário rever qual tem sido a postura na batalha. 

Qual tem sido a sua? Vigilância ou negligência?

Tecnologia do Blogger.