O terceiro mandamento


“Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão, porque o SENHOR, não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão”. (Êxodo 20.7)

A maneira pela qual muitos cristãos tratam o nome de Deus em nossos dias é de preocupar, e porque não dizer, estarrecer. Em seu livro “A Lei de Deus Hoje”, Solano Portela transcreve e analisa algumas reportagens das Revistas Isto é e Veja onde os repórteres publicam matérias sobre famosos artistas e atletas que se denominam evangélicos, mas que, na realidade, o seu modo de vida não condiz com o procedimento de um convertido a Cristo. 


Como diz Portela: “Procurando uma coexistência pacífica com a profissão de fé evangélica, distorcem todo o conceito de santidade contido no nome de Deus”. Muitas coisas têm acontecido e o nome de Deus tem sido deturpado de maneira grosseira e aviltante. 

Entendemos que, um retorno às Escrituras Sagradas, uma leitura criteriosa e um desejo de conhecer melhor a Deus, por certo, modificará o quadro religioso com referência a Deus. 

Os Mandamentos, e em especial o 3º Mandamento da Lei de Deus, é um denominador comum que nos orienta a viver e honrar o santo nome de Deus segundo os critérios contidos na Sua Palavra. 

O Que Nos Ensina o Terceiro Mandamento? 

I – O TERCEIRO MANDAMENTO NOS FALA SOBRE DEUS, NAQUILO QUE ELE NOS REVELA
“Não tomarás o nome do SENHOR, teu Deus, em vão,...”. 

Saber sobre o nome de Deus nada mais é do que nos apropriarmos de uma experiência profunda com Ele. Deus se revela como: 

  • Elohim que é o “Deus Onipotente”;
  • Yahweh que é o “SENHOR” absoluto em tudo e em todas as coisas; 
  • El-Shaddai que é o “Deus Todo-Poderoso”; 
  • Yahweh-Yireh que é “Deus Proverá”; 
  • Yahweh-Rophe que é o “Senhor que Cura”; 
  • Yahweh-Nissi que é o “Senhor é a minha Bandeira”, ‘dando segurança para o seu povo na presença dos inimigos’; 
  • Yahweh-M’Kaddesh que é o “Senhor da Santidade”; 
  • Yahweh-Tsidkenu que é o “Senhor é nossa Justiça”. 

Temos ainda outros nomes e títulos sobre Deus em todas as Escrituras Sagradas. 

No cômputo geral, na soma total das manifestações do Deus que se revela a nós, o seu povo, através dos seus nomes e manifestações, mostrando os seus atributos (Rm 1.20), temos uma doutrina segura, verdadeira, orientadora, firme e consistente que se torna divisora das falsas e putrefatas doutrinas que povoam o mundo entenebrecido pelo pecado e o poder das trevas, mostrando-nos o caminho seguro a seguir.

II – O TERCEIRO MANDAMENTO NOS ENSINA QUE O NOME DE DEUS É INEGOCIÁVEL 
“porque o SENHOR não terá por inocente o que tomar o seu nome em vão”. 

A irreverência dos nossos dias para com o nome de Deus e o desconhecimento da Sua Soberana vontade nas Escrituras, tem criado uma geração que usa o Seu Santo Nome sem nenhum escrúpulo e critério, desgastando-O e injuriando-O. 

Vejam apenas alguns dados. Milhares de pessoas estão construindo fortunas e se enriquecendo na venda de roupas, adesivos, etc., usando o nome de Deus. 

O Revdo. Horton escreve que, da propaganda de uma cerveja: “Esta Bud é para você”, foi modificada para: “Este sangue é para você”

Certo dia estávamos em Jaú, no Hospital do Câncer, por conta do tratamento quimioterápico da minha esposa, quando vimos uma senhora com uma camiseta que tinha na frente a seguinte frase: “Tá com sede?” e atrás a resposta: “Jesus mata a sede”. 

“Sempre que barateamos o nome de Deus”, escreveu Horton, “por meio de vãs repetições, criando slogans irreverentes ou, realmente, praguejando, nos envolvemos numa violação do 3º Mandamento”.

III - O TERCEIRO MANDAMENTO NOS INDICA A SALVAÇÃO ATRAVÉS DO NOME DE DEUS
Em Atos 2.21 Pedro diz que: “Todo aquele que invocar o nome do Senhor será salvo”. 

1 Jo 5.13: “Estas coisas vos escrevi, a fim de saberdes que tendes a vida eterna, a vós outros que credes em o nome do Filho de Deus”. 

At 4.12: “E não há salvação em nenhum outro; porque abaixo do céu não existe nenhum outro nome, dado entre os homens, pelo que importa que sejamos salvos”.

Os apóstolos pregaram que o nome de Jesus Cristo é que garante a redenção eterna daquele que crê. É preciso invocar o nome de Cristo. É preciso crer em o nome do Filho de Deus. É preciso saber e crer que não existe nenhum outro nome, dado entre os homens pelo que importa que sejamos salvos.

Conclusão
Diante do que nos expõe o Terceiro Mandamento, qual tem sido a sua atitude para com o nome de Deus?

------------------------------------
Antonio Coine é Pastor Emérito da Igreja Presbiteriana Monte Sião (Botucatu), atuando como ministro há 40 anos na Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pela Faculdade de Teologia da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil - SP. Licenciado em Filosofia. Mestre em Divindade e Doutor em Ministério pelo Seminário do Canadá em Manitoba/CA. Foi pastor da Igreja Presbiteriana do Canadá e missionário dessa denominação entre os povos de Língua Portuguesa, quando plantou a Igreja Presbiteriana de Língua Portuguesa do Presbitério West Toronto, IPC que foi organizada em outubro de 1988. É autor do livro "Das Sagradas Escrituras - Uma coletânea de esboços de sermões para um ano litúrgico - Vol. 1".

Tecnologia do Blogger.