Hino 204 - Cristo à porta



1. À porta estou, ó alma triste, 
Ansioso por te consolar;
A minha voz, enfim, ouviste,
Eu vou entrar, eu vou entrar!


    À porta, por amor levado,
    Procuro já teu mal sanar;
    O pecador desalentado,
    Eu vou entrar, eu vou entrar!

2. Por ti foi grande o meu castigo,
Sofri na cruz sem murmurar!
Só para teres paz comigo,
Eu vou entrar, eu vou entrar!

3. A minha graça poderosa
O teu pecado vem lavar!
Ó alma impura, pesarosa,
Eu vou entrar, eu vou entrar!


Informações
Letras: Fanny Jane Crosby, 1820 - 1915
Tradução: Robert Hawkey Moreton, 1898
Música: Phoebe Palmer Knapp, 1839 - 1908

História
Fanny Jane Crosby é autora de uma vasta obra poética (cerca de 8.000 poemas) que constitui uma contribuição inestimável à hinologia universal, pelo alcance irrestrito de seu testemunho cristão. Nasceu em South East, Nova York e, devido a um tratamento errado, perdeu a visão no segundo mês de vida. 

A maior parte de sua vida foi passada em Nova York, onde estudou (na "New York Institution for the Blind", onde foi aluna do famoso músico Dr. George Frederick Root, v. índice), lecionou e casou-se com o Prof. Alexander Van Alstyne, cego como ela. Recebeu muitas honrarias, como a de ter sido a primeira mulher a falar publicamente na Sala do Senado Americano. 

Foi membro da Igreja Metodista Episcopal e faleceu em Connecticut, em 1915. Muitos compositores musicaram seus poemas que se tomaram hinos mundialmente famosos e divulgados em todos os hinários. Entre esses músicos está a talentosa e diligente Phoebe Palmer Knapp. Nascida em 1839, em Nova York, produziu e fez publicar uma excelente obra musical reconhecida e aceita em todo o mundo. 

Amiga de Fanny Crosby, visitava sempre a escritora e, dessa associação, nasceram muitos hinos importantes como este e o n° 144. (1) Phoebe Palmer Knapp faleceu em Poland Springs, em 1908. A tradução para o potuguês é do Rev. Robert Hawkey Moreton (v. hino n° 75), feita em 1898. 


(1) A propósito do hino 144, diz a história que Phoebe Knapp compôs a melodia, harmonizou-a e levou à casa de FAnny Crosby. Tocou ao piano e perguntou: "Fanny, o que esta música lhe diz?" Alguns minutos depois ele respondeu: "Que segurança, Jesus é meu!". Foi o início do poema que, junto à música, ofrmam o hino conhecido por milhares de cristãos que possuem esta segurança.


Tecnologia do Blogger.