Hino 188 - Clara luz (primeira música)



1. Quanta dor, quanta amargura 
Vem meu peito retalhar!
Não importa, se diviso
Clara luz além brilhar!
Nela, cheio de esperança,
Cravo os olhos tristes meus:
Ela é selo e garantia
Do supremo amor de Deus.

2. Deus predestinou-me e fala:
"Tens em Cristo a Redenção;
Sou a luz dos pecadores,
Dissipando a escuridão".
Vamos, vamos, companheiros,
Caminhemos nessa luz,
Que através da escura noite
Resplandece sobre a cruz.

3. Eia, avante, a passos largos,
Vamos, vamos sem parar!
Ficará em densas trevas
Quem na luz não caminhar!
Pois nos mostra a bela terra
Donde mana leite e mel;
Essa luz jamais se apaga,
Pois provém do Deus fie
l.

Informações
Letra: Júlio Cesar Ribeiro
Música: José Maurício Nunes Garcia, 1801
Arranjo: João Wilson Faustini, 1969

História
O Prof. Júlio Cesar Ribeiro, jornalista, romancista e filólogo renomado, nasceu em Sabará em 1845, professou a fé e foi batizado em São Paulo pelo Rev. Chamberlain em 1870. Escritor, poeta e tradutor, tem uma excelente contribuição à hinologia brasileira. Auxiliou o Rev. João Boyle, em 1888, na revisão do "Hynmos Evangélicos e Cânticos Sagrados". 

É autor de uma "Gramática" muito usada nas primeiras décadas século XX. O Rev. João Wilson Faustini fez este arranjo para a música do Padre josé Maurício Nunes Garcia, o "Padre-Mestre do Brasil Colônia". Ao chegar ao Brasil em 1808, D. João VI espantou-se ao encontrar aqui um músico da qualidade de José Maurício e deu-lhe o cargo de Mestre da Capela Real, no Rio de janeiro. 

Compositor comparado aos melhores da Europa, José Maurício tem uma obra litúrgica da mais alta qualidade, difundida no Brasil e no exterior, que compreende várias Missas, Te Deum, motetos, etc., álém de obras seculares. Filho de mestiços, nasceu em 1767 no Rio de Janeiro e estudou música praticamente sozinho. 

Teve inúmeros alunos e foi considerado um dos maiores improvisadores do mundo no teclado. Em 1821 D. João VI retorna a Portugal e José Maurício fica desamparado, doente e falece em 1830. Foi um grande amigo do músico austríaco Segismund Neukomm, aluno de Haydn, que esteve durante alguns anos no Brasil.

Clique aqui para ver outros hinos 
Tecnologia do Blogger.