Prova da mentira


Leitura Bíblica: João 8.39-46
Portanto, cada um de vocês deve abandonar a mentira e falar a verdade ao seu próximo, pois todos somos membros de um mesmo corpo (Ef 4.25).

Conta-se uma história que Esopo, que se tornou famoso pela autoria de diversas Fábulas gregas, certa vez, foi vítima de uma cilada que quase lhe custou a vida. 

O fato ocorreu quando ele ainda era um escravo de um amo muito severo e impiedoso. 

Alguns escravos que o detestavam, desejosos de vê-lo em dificuldade perante o patrão, apanharam alguns figos do amo e os comeram colocando a culpa em Esopo. 

Quando o amo deu pela falta dos figos, acendeu-se a sua ira e foi interrogar os escravos. Os autores da trapaça mentiram dizendo que Esopo havia comido os figos maduros. 

Sendo chamado pelo amo para ser chicoteado, Esopo ficou indignado com a falsa acusação. 

Vendo que havia sob o fogo uma vasilha com água morna, bebeu um bom bocado e vomitou várias vezes mostrando a todos que estava em jejum. 

Admirado da sabedoria de Esopo, o amo obrigou os acusadores a beber também da água morna fazendo-os vomitar. 

A mentira foi descoberta e cada um dos mentirosos levou uma longa série de chibatadas. Depois disso, Esopo foi promovido sobre os demais escravos.

A mentira pode até parecer vantajosa. 

No início parece que vai nos favorecer, mas quando menos esperamos somos traídos por ter acreditado nela. O maior prejudicado com a mentira é o mentiroso. 

É a lei da semeadura e da colheita. 

“Não se deixem enganar: de Deus não se zomba. Pois o que o homem semear, isso também colherá” (Gl 6.7). 

A verdade sempre prevalecerá. Devemos manter distância da falsidade e da mentira. O Diabo é chamado de pai da mentira. 

Nós, como filhos de Deus, devemos preservar a verdade. Quem troca a verdade pela mentira está deixando de adorar ao Criador para adorar a criação. 

Quem ama a Deus busca a verdade. Ama seu próximo e não tenta enganá-lo, antes deseja servir e ajudar sempre, sendo verdadeiro em seus relacionamentos.

Não minta para si mesmo, fale a verdade.

Comentários