Cafés suspensos


Provérbios 14.29-31
Porque toda a lei se cumpre em um só preceito, a saber: Amarás o teu próximo como a ti mesmo (Gl 5.14).

Roberto Carvalho conta uma história interessante e inspirativa: 

Entramos num pequeno café na Bélgica com um amigo meu e fizemos o nosso pedido. Enquanto estamos a aproximar-nos da nossa mesa, duas pessoas chegam e vão para o balcão: - Cinco cafés, por favor. Dois deles para nós e três suspensos. 

Eles pagaram a sua conta, pegaram em dois e saíram. Perguntei ao meu amigo: - O que são esses cafés suspensos? 

O meu amigo respondeu-me: - Espera e vais ver. Algumas pessoas mais entraram. Duas meninas pediram um café cada, pagaram e foram embora “suspensos”. 

Enquanto eu ainda me pergunto qual é o significado dos “suspensos”, eles saem. De repente, um homem vestido com roupas gastas que parece um mendigo chega na porta e pede cordialmente: - Você tem um café suspenso? 

Resumindo, as pessoas pagam com antecedência um café que servirá para quem não pode pagar uma bebida quente. 

Esta tradição começou em Nápoles, mas espalhou-se por todo o mundo e em alguns lugares é possível encomendar não só cafés “suspensos”, mas também um sanduíche ou refeição inteira.

Esta história traz um exemplo de como com uma pequena atitude podemos fazer o bem. Se cada um de nós ajudar um pouquinho o próximo necessitado, o número de pessoas na miséria iria com certeza diminuir muito.

Esta história também nos faz refletir como nos esquecemos de compartilhar daquilo que Deus tem nos proporcionado. 

Estamos tão ocupados em satisfazer as nossas necessidades que tomamos nosso café, às vezes almoçamos ou comemos um lanche em um restaurante sem mesmo olhar ao redor. 

O cuidar apenas de si mesmo parece algo natural. Todas as coisas que temos deveriam nos fazer lembrar de como Deus tem nos abençoado e mover nosso coração, em forma de gratidão, a ajudar ao próximo.

Doação não deve ser uma ação de dor, mas de amor.

Comentários