Feliz ano novo!



Não sei quantas vezes repeti a frase: "Feliz Ano Novo!" nestes últimos dias, e ainda vai ser assim por algumas semanas. Todos querem ter e desejar a alguém um ano novo feliz. 

Sabemos que não basta desejar aos outros um feliz ano novo e receber de volta os votos, mesmo sinceros, para que tenhamos também um feliz ano novo. É preciso buscar, agir, reunir as condições necessárias para que tal felicidade aconteça nos próximos 365 dias, incluindo o dia de hoje.


E uma condição para ser e fazer outros felizes é o perdão. O perdão verdadeiro, segundo a Bíblia, melhora a qualidade e prolonga a vida das pessoas. O perdão como fator de estabilidade emocional, paz interior, maior compreensão da maneira de agir dos outros, é reconhecido não só pelos cristãos, mas por profissionais que li­dam com o comportamento humano.

Quem carrega mágoa, rancor, fica remoendo no seu interior algum mal que recebeu, está continuamente envenenando seu espírito e seu corpo. Precisa liberar tais sentimentos e isto é possível quando se perdoa. 

É preciso perdoar a quem nos pede perdão e é preciso pedir per­dão a quem ofendemos. É preciso perdoar a quem não nos pede perdão, perdoar perante Deus, no nosso interior, com sinceridade. As pessoas que perdoam e são perdoadas podem esperar um "Feliz Ano Novo". 

Muita gente começa o ano com grandes projetos, sonhos, novas resoluções e, em poucos dias, cometem vários erros. Assim, toda a proposta de mudança de vida e novos propósitos ficam comprometidos logo nos primeiros dias do Ano Novo. 

A lista de pecados de Davi, o rei de Israel, começava com assassinato e adultério. Ele sentiu profunda necessidade de ser perdoado. Foi perdoado e escreveu sobre como o perdão melhorou sua qualidade de vida. 

Quando olha­mos a lista de pecados de Davi ficamos aliviados; temos lá nossos erros, mas há pecadores bem piores que nós. 

Mesmo sendo honestos, precisamos admitir que fazemos coisas, grandes ou pequenas, intencionalmente ou não, que precisam ser perdoadas. Magoamos um amigo. Irritamos nos­sos filhos. Ignoramos os sentimentos do nosso cônjuge. Desrespeitamos um empregado. Não nos damos bem com nossos vizinhos. Quanto precisamos do perdão de Deus! Quanto precisamos do perdão dos outros! 

A Bíblia diz que somos pecadores e que "não há nenhum justo, nem um sequer".Todos nós erramos e todos nós precisamos do perdão de Deus. 

E o perdão nos liberta e pacifica nosso coração. Perdoar e ser perdoado é a melhor maneira de começarmos um novo dia e também um novo ano. Que este ano seja marcado nas nossas vidas como aqueles que imitam a Jesus “Assim como eu vos perdoe, assim perdoai vós também”. 

-----------------------------------------
Carlos Roberto Teles, é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul no ano de 1987. Foi ordenado pastor em 31 de janeiro de 1988.
Tecnologia do Blogger.