Poder

O mais forte
Conta-nos uma lenda russa, que um gigante adotara a divisa de só servir ao mais forte.
Incontinente foi servir o presidente do Conselho de sua cidade. Logo descobriu que o presidente temia o duque. Foi servir o duque. Logo descobriu que o duque temia o imperador. Foi servir o imperador. Acabou descobrindo que o imperador temia o diabo. Colocou-se a serviço do diabo e descobriu que o diabo temia Jesus Cristo. Deduziu, então, que o mais forte era Jesus Cristo, o verdadeiro Senhor do reino e, daí em diante, só a ele serviria. E pensar que muita gente, muitos cristãos, ainda não descobriram que Jesus Cristo é o mais forte e andam buscando força onde força não existe, onde jamais a poderão encontrar!

(Extraído do livro “Pense Comigo – Meditações Evangélicas”, 1ª Edição – Rev. Samuel Barbosa)

O herói perfeito
Alexandre Magno, rei da Macedónia, o mais famoso cabo de guerra da antiguidade, conservava consigo uma cópia de Ilíada porque admirava Aquiles, o herói que Homero imortalizou nessa obra. Admirando-o fez dele seu herói, seu ideal, seu modelo em quem se inspirava para obter suas maiores vitórias. Mas Aquiles viveu só na imaginação e na literatura, pois sendo mitológico não teve existência real, por isso, não podia ser um herói perfeito.

Esse herói perfeito nós encontramos nas páginas dos evangelhos. Herói de um heroísmo provado nas batalhas morais e espirituais. Herói vitorioso sobre um mundo mau e pervertido. Triunfador sobre a própria morte. Esse glorioso herói tem alcançado o culto e a adoração de milhões que O têm servido através de quase vinte séculos. Ele mesmo havia previsto isso quando disse: "e eu quando for levantado da terra, todos atrairei a mim". Tome-O, você também, como modelo para sua vida. Quem é esse herói? Jesus Cristo!

(Extraído do livro “Pense Comigo – Meditações Evangélicas”, 1ª Edição – Rev. Samuel Barbosa)

Força
Há uma lenda que conta que Milão, um atleta de Crótona, acostumou-se a carregar nos ombros, um bezerro desde que este nasceu. O bezerro se fez touro e um dia Milão entrou na arena carregando nos ombros um enorme touro, muitas vezes mais pesado do que o próprio Milão. Uma árvore consegue suportar os vendavais porque, desde pequenina, acostumou-se a suportar os ventos enterrando, cada vez mais profundamente, suas raízes no chão.

Assim é que nós também treinamos para suportar as grandes provações, suportando e vencendo as pequenas. Alguém já observou que o papagaio de papel sobe contra e não a favor do vento.

(Extraído do livro “Pense Comigo – Meditações Evangélicas”, 1ª Edição – Rev. Samuel Barbosa)
Tecnologia do Blogger.