Culto de Organização - Igreja Presbiteriana Rocha Eterna - 1989



O texto a seguir é uma adaptação de dois documentos de levantamento histórico produzidos a partir da pesquisa do Presbítero Onésimo Barddal Silveira (in memoriam).


1.980, o ano corria célere. Súbito, a missão missionária da Igreja foi despertada para um novo trabalho que surgia e, promissor. Vila Dr. Laurindo, progressista bairro novo, era, em termos de evangelização, um grande desafio.

Muitas almas, por certo ali aguardavam a mensagem salvadora do Mestre. Campo fértil, sem dúvida era esse.

Ata do Conselho, datada de 22/11/80, registrou a constituição de uma comissão encarregada de avaliar a possibilidade de se construir nessa vila em terreno doado à Igreja pelo já falecido Lúcio Miranda.

Integravam essa comissão, os presbíteros, Daniel de Oliveira, Salvador Pontes de Melo e Calvino Domingues Sales.

Por outro lado, movidos por formidável espirito missionário, abnegados irmãos promoveram reuniões de evangelização, com adultos e crianças, em casa dos irmãos José Irio de Toledo e Ivone R. Pontes de Toledo, à rua Chiquinha Rodrigues nº  657,

Em virtude da mudança dos irmãos hospedeiros, tempos depois, o trabalho foi interrompido.

O Senhor, que, todavia, não abandona nunca a Sua obra, providenciou outro local para o trabalho. O ponto de pregação, funcionar a partir de agora, em casa do Sr. Laelson Antunes e irmã Bernadete Aguiar Antunes.

Em 14/04/81, com a presença de 37 pessoas, foi realizado ali o primeiro trabalho. Os presbíteros, Salvador Pontes de Melo e Calvino Domingues Sales, foram designados pelo Conselho da Igreja, como responsáveis por essa nova frente de pregação da Palavra de Deus.

Registre-se como justa homenagem "In Memoriam", o magnifico desempenho do irmão Calvino, naquele local. Com sua simplicidade, mas devotado amor e esplêndida ousadia, ele deixou ali, plantado, vivo exemplo de real consagração a obra do Senhor.

Após grave enfermidade, aquele querido irmão veio a falecer.

Consta que durante sua permanência ali, trabalhando, foi convocado pelo Conselho da Igreja, a fim de conjuntamente com este, elaborar um plano de construção de um prédio que abrigasse o trabalho de pregação, em terreno que havia sido doado pelo irmão Lucio Miranda.

Situava-se esse imóvel, no local onde existe atualmente a residência do casal Marcos Miranda e  Nanci S. Miranda. Entretanto, em virtude da topografia não muito favorável à construção, desistiu-se de tal empreitada.

Mas o ideal de construir continuava mais vivo do que nunca. Ata do Conselho, do dia 01/08/81, registra uma resolução, designando o presbítero Salvador Pontes de Melo, para fazer nova sondagem no intuito de se construir na Vila Dr. Laurindo, não só um ponto de pregação, mas também uma creche.

Outra ata do Conselho, de 03/04/82, registra que o Rev. Ludgero Bonilha de Moraes, então pastor da Igreja, e o presbítero Salvador Pontes de Melo, apresentaram um anteprojeto de construção de um templo para a vila em pauta.

A partir de 16/11/83, por resolução do Conselho, o presbítero João David Muzel, passava a ser o responsável pelo ponto de pregação que funcionava na casa da irmã Bernadete, a rua Inácio Vila Nova, 180.

Em 31/08/84, o Conselho reunido, decidiu convocar a assembleia extraordinária, da Igreja, onde deveriam ser autorizadas, a venda do imóvel situado a rua Francisco Bernardes e a compra de outro terreno já conhecido, com 900m2 de área, situado na confluência das ruas, Major Martiniano Soares com Fernando Prestes.

Reunida a assembleia no dia 05/09/84, ambas as medidas foram aprovadas.

Enquanto prossegue animado o trabalho de pregação supra citado, iniciam-se as obras de construção de Congregação da Vila Dr. Laurindo, que já em Julho/1985, encontrava-se em fase de acabamento.


De imediato, resolveu-se que tão logo a obra estivesse concluída, o trabalho de pregação haveria de se transferir para ali.

No dia 29/01/86, com uma reunião devocional, foi inaugurado o uso da Congregação, que por determinação do Conselho, ficaria sob a responsabilidade do presbítero Décio Jacob Hessel. Parte do mobiliário que de início foi usado, foi cedido pelo Conselho da Igreja.




A Congregação que a princípio só se reunia em Escola Dominical, foi autorizada, (ata do Conselho de 05/04/86) a partir daquele momento, a realizar estudos bíblicos às quartas feiras.

Sob a direção do diácono Onésimo Barddal Silveira, no dia 09/04/86, foi realizado o primeiro estudo. Posteriormente, esses trabalhos foram transferidos para as quintas-feiras.

Contando com a colaboração de um bom grupo de irmãos, aproximadamente 08 famílias, o trabalho frutificava, com uma pujante Escola Dominical e muito boa frequência aos cultos de meio de semana.

Desenvolveu-se também trabalho de discipulado em casa de interessados, residentes nas imediações.

O sonho de emancipação que já vinha sendo agasalhado no coração de todos os colaboradores dali, ficou mais perto de se tornar realidade, com a resolução do Conselho, datada de 12/08/88, em permitir, que a partir daquele momento, a Congregação passasse a gerir seu movimento financeiro.

Grande passo foi dado, no sentido de em breve, se organizar ali, mais uma Igreja.

Com mais essa vitória, o ânimo entre todos foi crescendo e a Congregação passou a se organizar e a se equipar para se tornar em Igreja Organizada, num futuro não muito distante.

Atendendo a ânsia geral, o Conselho em reunião decidiu autorizar o seu funcionamento também, aos domingos à noite.

Em 05/02/89, foi realizado o 1º ato de culto sob a direção do licenciado, José Geraldo da Costa Grilo.

Os licenciados, José Geraldo da Costa Grilo e José Roberto C. Cardoso, passam a partir daquele momento, a dar assistência, alternadamente, à Congregação.

A responsabilidade do trabalho ficou, neste ano de 1.989, a cargo do presbítero Aldrovando Vicente Parisi.

Por solicitação sua, os irmãos, presbítero Décio Jacob Hessel e os diáconos, Carlos Henrique Vieira e Onésimo Barddal Silveira, passam a colaborar na direção dos trabalhos da Congregação.

Atendendo velha aspiração de todos, o Conselho da Igreja, em reunião datada de 21/05/89, para a alegria geral, designa para trabalhar ali com exclusividade, o licenciado Jose Roberto Corrêa Cardoso.

Graças ao bom Deus, em 30/05/89, o Conselho recebe para enviar ao Presbitério da Tatuí, toda a documentação necessária a organização de Igreja.

Após exame e procedimento formais, o Presbitério designou para 25/06/89, a data para a cerimônia de emancipação e organização da Nova Igreja.

Eis os nomes dos membros fundadores:

Alcione Batista de Souza
Aldrovando Vicente Parisi
Aparecida Américo Bueno
Aparecida Joaquim Portela
Benedito Domiciano Pedroso
Carlos Henrique Vieira
Carmelina Catel
Cimara Carvalho Vieira
Cláudio Pontes de Oliveira
Débora Camargo Parisi
Débora de Oliveira Françani
Décio Jacob Hessel
Domingos Fonseca
Dulce de Almeida Mota
Edna Pires Corrêa Assunção
Edson Lopes
Ezechias borges de Oliveira
Geni Barbosa Müzel
Gessy Corrêa de Souza
Ieda Amaral Lopes
Laélson Vieira Antunes Junior
Laudira de Castro Vieira
Leni de Camargo Silveira
Magali Aparecida da Silva
Maria Bernadete Aguiar Antunes
Maria Shioto Monteiro Claro
Maria de Lourdes de Oliveira
Maria do Carmo almeida Ruivo
Nadir Garcia da Silva
Nadir Hessel de Oliveira
Neusa Carvalho Moura vieira
Neuza Carvalho Moura
Olindina Xavier Müzel
Onésimo Bardal Silveira
Raymundo Françani Jr.
Rosa Mary Monteiro Parisi
Silmara Carvalho Vieira
Tércio Parisi
Wilma Leeknink Hessel


Por ser de inteira justiça, não poderíamos deixar de consignar neste documento, a generosa colaboração e carinhosa acolhida a todos quantos iam congregar em sua residência, da irmã Bernadete Aguiar Antunes, que hospedou por longo período, o ponto de pregação.

Também não pode ser esquecida a inestimável colaboração, graciosa, do Dr. Paulo Wesley de Camargo Soares, não só na confecção da planta do prédio, mas como no seu valioso e sempre presente acompanhamento técnico das obras.

Corria o ano de 1990, e como presente inestimável, a Igreja Presbiteriana de Tatuí, Igreja Mãe, nos brindou com a doação do patrimônio que até então ocupávamos a título de empréstimo.

Compunha-se o mesmo de: um edifício de educação cristã construído em um terreno de 900m2 de área, situado à Rua Major Martimiano Soares 320, Vila Dr. Laurindo; um imóvel situado à Rua São Paulo, na Vila Primavera. Essa doação foi decidida em Assembleia Geral Extraordinária daquela Igreja em 17/06/1990.

Com redobrado animo, agora em casa própria, prossegue a Rocha Eterna sob a direção segura do seu pastor, o Rev. Jose Roberto Corrêa Cardoso e auxiliado pelos Presbíteros, Aldrovando Vicente Parisi, Décio Jacob Hessel e Onésimo Barddal Silveira e pelos Diáconos, Carlos Henrique Vieira, Tercio Parisi e Raimundo Françani Junior.

Devida a grande afluência a seus cultos, houve até a necessidade de a nova Igreja, adotar dois horários.

A eficiente pregação da Palavra de Deus pelo seu pastor, o louvor forte, bem dirigido pelos irmãos responsáveis pela música e trabalho de discipulado, propiciaram não só essa boa frequência, como também a aquisição de novos membros.

Não demorou muito tempo, tivemos que nos socorrer do empréstimo do salão nobre da Escola Estadual de I e II Graus Lienete Avalone Ribeiro, para ali, por algum tempo, realizarmos nosso cultos dominicais.

A Igreja prosseguia com seu entusiasmo e a tal ponto, que em determinados trabalhos especiais, teve que recorrer ao monitoramento de TV com circuito fechado, para que pessoas de fora do salão de culto e ao abrigo de encerados, pudessem acompanhar o desenrolar dos trabalhos de culto.

Agora, já plenamente convencida da absoluta escassez de espaço físico, a Direção da Igreja entendeu que deveria iniciar as sondagens para a reforma e ampliação do Salão de Culto, já que construir um Templo, devido ao difícil momento econômico, era uma ideia quase inviável.

Partiu-se para a iniciativa da reforma e até plantas foram elaboradas.

Entretanto, como é sabido e aceito, o homem propôs e Deus dispôs, e em assim sendo a ideia da construção de um templo, propriamente dita, começou a ganhar nova dimensão. O desafio estava sendo lançado.

Com ímpar entusiasmo, o Conselho da Igreja lança a palavra de ordem e em reunião regular, nomeou uma Comissão de Construção constituída pelos irmãos, Presbíteros, Décio Jacob Hessel, Aldrovando Vicente Parisi, do Diácono Carlos Henrique Vieira e dos irmãos, Marco Antônio Rodrigues e João Moreno.

No dia 07 de março de 1993 foi lançada a Pedra Fundamental do novo templo (assista aqui)
Tecnologia do Blogger.