As Dez Pragas do Egito e Suas Implicações


Eu sei, porém, que o rei do Egito não vos deixará ir se não for obrigado por mão forte. Portanto, estenderei a mão e ferirei o Egito com todos os meus prodígios que farei no meio dele; depois, vos deixará ir. 
Êxodo 3.19,20

As dez pragas do Egito tiveram por finalidade levar Faraó a reconhecer e a confessar que o Deus dos hebreus era supremo, estando o seu poder acima da nação mais poderosa, o Egito (Ex 9.16; 1Sm 4.8),  cujos habitantes deveriam ser julgados pela sua crueldade e grosseira idolatria. 

Quais são as pragas e o que podemos aprender de cada uma delas?



1ª PRAGA: ÁGUAS EM SANGUE: 7.14-25


Do rio Nilo, o Egito fazia seu suprimento de água para toda a nação (banho, comida, lavar, beber), e regava suas plantações. 

Além disso, existia ainda a questão espiritual. Os egípcios tributavam honras divinas ao rio Nilo; eles o reverenciavam como o primeiro dos seus deuses: o deus Hapi

Diziam que as suas águas possuíam poderes místicos; que o rio Nilo era o rival do céu, visto como regava a terra sem o auxílio de nuvens e de chuva. Dessa forma, ali se realizavam praticamente, todos os rituais pagãos do Egito.

Outro deus associado ao rio Nilo era o Khum, uma espécie de guardião do Nilo, era ele que nas inundações, depositava lodo preto nas margens do rio (lodo esse que servia de matéria prima para os tijolos).

Deus ao transformar as águas do Nilo em sangue acerta a artéria do Egito, pois destrói duas das suas principais divindades e fragiliza toda uma população por 7 dias: 


De sorte que os peixes que estavam no rio morreram, o rio cheirou mal, e os egípcios não podiam beber a água do rio; e houve sangue por toda a terra do Egito... Todos os egípcios cavaram junto ao rio para encontrar água que beber, pois das águas do rio não podiam beber. - Êxodo 7.21,24


2ª PRAGA: RÃS: 8.1-15


As rãs representavam a deusa Heket, responsável pelo parto e fertilidade. Era ela que conferia o sopro da vida aos homens e às mulheres que Khnum modelava na sua roda de oleiro.

Mas aqui com essa praga, por causa de habitarem em região pantanosa, trouxeram sujeira ao cotidiano dos egípcios, tornando seus lares e vidas imundos:



O rio produzirá rãs em abundância, que subirão e entrarão em tua casa, e no teu quarto de dormir, e sobre o teu leito, e nas casas dos teus oficiais, e sobre o teu povo, e nos teus fornos, e nas tuas amassadeiras. As rãs virão sobre ti, sobre o teu povo e sobre todos os teus oficiais... e subiram rãs e cobriram a terra do Egito - Êxodo 7.4,6b


As rãs aqui devem ser entendidas não de maneira específica, mas genérica, pois a palavra tsepardea inclui todos os animais que habitavam os pântanos; todos os anfíbios: sapos, pererecas, anuras, tritões e salamandras.

Essa praga foi tão repugnante que o faraó entrou em desespero a ponto de clamar (pela primeira vez) ao Deus dos hebreus (ele fará isso posteriormente, mais duas vezes:8.24; 9.28)


Chamou Faraó a Moisés e a Arão e lhes disse: Rogai ao SENHOR que tire as rãs de mim e do meu povo; então, deixarei ir o povo, para que ofereça sacrifícios ao SENHOR. - Êxodo 8.8


Moisés clamou por ele e caos se estabeleceu por completo:


Então, saíram Moisés e Arão da presença de Faraó; e Moisés clamou ao SENHOR por causa das rãs, conforme combinara com Faraó. E o SENHOR fez conforme a palavra de Moisés; morreram as rãs nas casas, nos pátios e nos campos. Ajuntaram-nas em montões e montões, e a terra cheirou mal. - Êxodo 8.12-14


Aquilo que os egípcios adoravam reduziu-se a algo podre e desprezível.


3ª PRAGA: PIOLHOS: 8.16-19


Essa praga que chegou sem ser anunciada (um ataque surpresa), diferentemente das duas primeiras,  não visou humilhar as deidades egípcias, mas os próprios sacerdotes egípcios. Esses homens não conseguiam fazer nada, a não ser se coçar.

Os piolhos, que são insetos parasitas, e se alimentam de sangue, resíduos da epiderme ou de secreções sebáceas, levavam as pessoas a loucura de tanto se coçarem; essas coceiras resultavam em graves feridas.

Nessa praga os magos reconheceram estar sobre a intervenção do Deus dos hebreus:


Então, disseram os magos a Faraó: Isto é o dedo de Deus. - Êxodo 8.19a


4ª PRAGA: MOSCAS – 8.20-32


Os egípcios adoravam um deus chamado Belzebu que, segundo sua crença, era poderoso para afugentar moscas e outro deus chamado Ptah, que seria o criador do universo. 

Quando os enxames de moscas atazanaram os egípcios, os sacerdotes e magos eram chamados para invocar seus deuses e neutralizar esse mal.

Porém aqui a praga foi tão intensa que não se limitava apenas a um gênero de inseto mas uma mistura deles. A palavra arob (mistura) transmite exatamente esse conceito.

Podemos dizer então que os egípcios estavam sendo atacados por besouros voadores, aranhas caindo dos tetos de suas casas, moscas que voavam ao redor, carrapatos grudando em seus corpos, ácaros se arrastando sob suas cobertas, abelhas os atacando, etc...

Os hebreus por sua vez estavam sob a proteção de Deus:


Naquele dia, separarei a terra de Gósen, em que habita o meu povo, para que nela não haja enxames de moscas, e saibas que eu sou o SENHOR no meio desta terra. Farei distinção entre o meu povo e o teu povo; amanhã se dará este sinal - Êxodo 8.22,23


Faraó movido pelo desespero incentiva Moisés e Arão a fazerem os sacrifícios a Deus, mas com uma ressalta: tinha que ser dentro dos limites egípcios. Isso foi rejeitado por Moisés e Arão (cf. 8.26,27).

Novamente pede clemência ao Deus dos hebreus:


...orai também por mim.  - Êxodo 8.28b


E vê atendido o seu pedido:


...os enxames de moscas se retiraram de Faraó, dos seus oficiais e do seu povo; não ficou uma só mosca.  - Êxodo 8.31


5ª PRAGA: PESTE NOS ANIMAIS - 9.1-7


Assim como os egípcios adoravam um deus chamado Belzebu uma deidade protetora; assim também era com Amom: o protetor dos animais, o qual nada pode fazer diante da manifestação julgadora do Deus dos hebreus:


eis que a mão do SENHOR será sobre o teu rebanho, que está no campo, sobre os cavalos, sobre os jumentos, sobre os camelos, sobre o gado e sobre as ovelhas, com pestilência gravíssima.  - Êxodo 9.3


...e todo o rebanho dos egípcios morreu; porém, do rebanho - Êxodo 9.6a


O que me é extraordinário aqui é que Deus blindou o rebanho do seu povo:


E o SENHOR fará distinção entre os rebanhos de Israel e o rebanho do Egito, para que nada morra de tudo o que pertence aos filhos de Israel. Êxodo 9.4


...porém, do rebanho dos israelitas, não morreu nem um. Êxodo 9.6b


6ª PRAGA: ÚLCERAS – 9.8-12


O deus que protegia os egípcios contra as feridas era Tifon e os deuses responsáveis pela cura eram Sekmet e Imhotep. Essas três deidades nada puderam fazer para proteger e curar os egípcios da 6ª praga


Eles tomaram cinza de forno e se apresentaram a Faraó; Moisés atirou-a para o céu, e ela se tornou em tumores que se arrebentavam em úlceras nos homens e nos animais... Êxodo 9.10


As feridas que acometeram os egípcios (estava esparramadas por seus corpos), eram úlceras profundas e subcutâneas que estouravam e faziam vazar pus, consequência de um processo de infecção bacteriana, resultando em dores terríveis. Essa praga atingiu pessoas e animais.

7ª PRAGA: CHUVA DE PEDRAS (saraiva)- 9.13-35


Nessa praga Deus aperta o cerco contra faraó:


Pois esta vez enviarei todas as minhas pragas sobre o teu coração, e sobre os teus oficiais, e sobre o teu povo, para que saibas que não há quem me seja semelhante em toda a terra. Pois já eu poderia ter estendido a mão para te ferir a ti e o teu povo com pestilência, e terias sido cortado da terra; mas, deveras, para isso te hei mantido, a fim de mostrar-te o meu poder, e para que seja o meu nome anunciado em toda a terra. Ainda te levantas contra o meu povo, para não deixá-lo ir? Eis que amanhã, por este tempo, farei cair mui grave chuva de pedras, como nunca houve no Egito, desde o dia em que foi fundado até hoje. Agora, pois, manda recolher o teu gado e tudo o que tens no campo; todo homem e animal que se acharem no campo e não se recolherem a casa, em caindo sobre eles a chuva de pedras, morrerão. Êxodo 9.14-19


As deidades egípcias Nuth (deusa egípcia regente do céu), Isis (deusa protetora da natureza e da água), Seth (deus das tempestades e dos animais) e Serapis (Aser-hapi, deus protetor das lavouras) foram envergonhas e destruídas, pois nada puderam fazer para conter as chuvas de pedras e fogo que cai sobre todo o Egito, reduzindo-o a pó:


Por toda a terra do Egito a chuva de pedras feriu tudo quanto havia no campo, tanto homens como animais; feriu também a chuva de pedras toda planta do campo e quebrou todas as árvores do campo. Êxodo 9.25


Os Animais que sobreviveram a 5ª e a 6ª praga vieram a tombar nessa praga, as vegetações e as colheitas de cevada e de linho foram destruídas totalmente, isso sem contar as pessoas. Nunca havia acontecido esse tipo de tempestade no Egito.

Os egípcios até aquela data nunca viram tanta chuva de uma vez só. Eles eram fascinados pelos raios e trovões (pensando serem deidades). Mas a partir dessa praga ficaram traumatizados.

A chuva que caiu sobre o Egito foi uma espécie de granizo com gelo e fogo, altamente destrutivo, por isso é citado em outras passagens como punitiva a um Israel desobediente (cf. Sl 78.47; 105.32; Is 28.2) e como manifestações do poder e glória de Deus (Sl 148.8, Is 30.30).

Essa chuva fragilizou todo o Egito, menos a terra de Gósen, onde estava o povo de Deus. Mais uma vez Deus blindou o seu povo (cf. 9.26).

Enfim, diante do caos que se estabeleceu à nação egípcia faraó se quebranta, confessa seu pecado (foi superficial; movido pelo MEDO não pelo TEMOR) e pede novamente para que Moisés clame a Deus por sua vida e povo (cf. 9.27,28).

Moisés então clama a Deus, que ouve o seu pedido e faz parar a chuva devastadora (cf. 9.33). Faraó por sua vez voltar, vendo que o “mal” cessara, volta a sua velha postura: coração endurecido e resistência em liberar os hebreus.

8ª PRAGA: GAFANHOTOS- 10.1-20


Os egípcios tiveram suas dietas afetadas (peixes mortos), seus corpos fragilizados, seus animais mortos, suas plantações e árvores destruídas.

O pouco que se mantivera em pé, que não fora destruída pela saraiva de granizo e fogo não resistirá a ação dos gafanhotos. Todo o verde seria consumido. A “paisagem” mudaria para sempre. 

As deidades egípcias Satis (deusa das plantações), Shu (deus da atmosfera, responsável também pela vida com a luz do dia, que fazia as plantas crescerem) e Ermutet (deusa das sementes), como as outras deidades egípcias nada mudaram fazer para salvar seus adoradores dessa praza, mostrando-se nulos e sem valor. Foram também aniquilados pelo Deus vivo.

A sentença fora severa:


Apresentaram-se, pois, Moisés e Arão perante Faraó e lhe disseram: Assim diz o SENHOR, o Deus dos hebreus: Até quando recusarás humilhar-te perante mim? Deixa ir o meu povo, para que me sirva. Do contrário, se recusares deixar ir o meu povo, eis que amanhã trarei gafanhotos ao teu território; eles cobrirão de tal maneira a face da terra, que dela nada aparecerá; eles comerão o restante que escapou, o que vos resta da chuva de pedras, e comerão toda árvore que vos cresce no campo; e encherão as tuas casas, e as casas de todos os teus oficiais, e as casas de todos os egípcios, como nunca viram teus pais, nem os teus antepassados desde o dia em que se acharam na terra até ao dia de hoje... Êxodo 10.3-6


Diante de mais uma grande ameaça, os oficiais de faraó, vendo a nação na ruína, procuram alertar faraó, do perigo de manter esse povo no Egito; por isso, incentivam faraó a liberar os hebreus (cf. 10.7).

Faraó por sua vez vê maldade na intenção dos hebreus e libera somente os homens para a saída (cf. 10.11). Essa atitude rebelde (em não dar ouvidos às ordens expressas de Deus: todo o povo, não apenas os homens) resultou na 8ª praga:


E subiram os gafanhotos por toda a terra do Egito e pousaram sobre todo o seu território; eram mui numerosos; antes destes, nunca houve tais gafanhotos, nem depois deles virão outros assim. Porque cobriram a superfície de toda a terra, de modo que a terra se escureceu; devoraram toda a erva da terra e todo fruto das árvores que deixara a chuva de pedras; e não restou nada verde nas árvores, nem na erva do campo, em toda a terra do Egito. Êxodo 10.14,15


Novamente, movido pelo medo, faraó alega arrependimento e pede que Moisés ore por ele (...oreis ao SENHOR, vosso Deus, que tire de mim esta morte – v.17). O Deus dos hebreus ouve assim a oração de seu servo Moisés e faz cessar aquela terrível praga (cf. 10.19).

E a partir dessa praga quem endurece o coração de faraó é Deus:



O SENHOR, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não deixou ir os filhos de Israel. Êxodo 10.20


9ª PRAGA: TREVAS- 10.21-29


O juízo divino cada vez mais se intensificava. O Egito assolado pela sede medo, fome e caos iria experimentar algum terrível: a ausência total de luz por três dias.

A deidades egípcia (deus sol), era a principal divindade do panteão, sendo o deus-criador, aquele trazia o sol e a vida ao Egito. Ele também foi aniquilado por Deus plenamente, mostrando-se ineficaz em vencer as trevas.

Essa praga foi causada por um cansin (tempestade de areia, frequente naquela região, no começo da primavera) e sem aviso prévio lançou a nação egípcia em trevas espessas:


...Estendeu, pois, Moisés a mão para o céu, e houve trevas espessas sobre toda a terra do Egito por três dias; não viram uns aos outros, e ninguém se levantou do seu lugar por três dias. Êxodo 10.22,23a


Essas trevas foram às mesmas que existiam quando o universo se encontra sem forma e vazio (cf. Gn 1.2); foram as mesmas trevas causadas (1 dia) pela nuvem incontáveis de gafanhotos, na praga anterior (cf. Êx 10.15); essa palavra também está associada as trevas da morte (cf. Jó 10.21; Sl 88.12; Ec 6.2).


“Essas trevas eram mais negras do que a escuridão da meia-noite; eram tão espessas que você podia senti-las”, “Uma escuridão na qual não se podia penetrar mesmo como uma lanterna; uma escuridão que você podia sentir em sua pele!” (SWINDOLL, Charles R. Moisés: um homem dedicado e generoso. Tradução de Neyd Siqueira. São Paulo: Mundo Cristão, 2000, p. 216)


Era uma escuridão que impedia as pessoas de enxergarem suas mãos e de se locomoverem: ausência total de luz. Com certeza isso foi plenamente opressivo!

Novamente o povo da Luz, não experimentou praga alguma. Deus estava com seu povo (cf. 10.23b). Porém faraó estava transtornado, e querendo agir novamente com meias-medidas:


Então, Faraó chamou a Moisés e lhe disse: Ide, servi ao SENHOR. Fiquem somente os vossos rebanhos e o vosso gado; as vossas crianças irão também convosco. Respondeu Moisés: Também tu nos tens de dar em nossas mãos sacrifícios e holocaustos, que ofereçamos ao SENHOR, nosso Deus. E também os nossos rebanhos irão conosco, nem uma unha ficará; porque deles havemos de tomar, para servir ao SENHOR, nosso Deus, e não sabemos com que havemos de servir ao SENHOR, até que cheguemos lá. Êxodo 10.24-26


Deus por sua vez endureceu o coração de faraó, a ponto agora de expulsar de forma definitiva Moises de sua presença:


O SENHOR, porém, endureceu o coração de Faraó, e este não quis deixá-los ir. Disse, pois, Faraó a Moisés: Retira-te de mim e guarda-te que não mais vejas o meu rosto; porque, no dia em que vires o meu rosto, morrerás. Respondeu-lhe Moisés: Bem disseste; nunca mais tornarei eu a ver o teu rosto. Êxodo 10.27-29


10ª PRAGA: MORTE DOS PRIMOGÊNITOS - 11.1-10; 12.29-33


A Palavra diz que “o salário do pecado é a morte”; que a consequência da desobediência é o juízo. Pois bem, a última praga será tocar naquilo que era mais precioso para faraó: sua dinastia, sua descendência, seu sucessor:


Moisés disse: Assim diz o SENHOR: Cerca da meia-noite passarei pelo meio do Egito. E todo primogênito na terra do Egito morrerá, desde o primogênito de Faraó, que se assenta no seu trono, até ao primogênito da serva que está junto à mó, e todo primogênito dos animais. Haverá grande clamor em toda a terra do Egito, qual nunca houve, nem haverá jamais; Êxodo 11.3-6


Deus diz a Moisés que com essa praga o faraó enfim cederia a sua ordem. O Hórus-vivo, seria enfim derrotado:


Disse o SENHOR a Moisés: Ainda mais uma praga trarei sobre Faraó e sobre o Egito. Então, vos deixará ir daqui; quando vos deixar, é certo que vos expulsará totalmente. Êxodo 11.1


Deus agora além de blindar o seu povo, devolve a eles a dignidade de anos de seus trabalhos (cf. Gn 15.13,14): o salário dos egípcios:


Fala, agora, aos ouvidos do povo que todo homem peça ao seu vizinho, e toda mulher, à sua vizinha objetos de prata e de ouro. E o SENHOR fez que o seu povo encontrasse favor da parte dos egípcios; também o homem Moisés era mui famoso na terra do Egito, aos olhos dos oficiais de Faraó e aos olhos do povo.
Êxodo 11.2,3

...porém contra nenhum dos filhos de Israel, desde os homens até aos animais, nem ainda um cão rosnará, para que saibais que o SENHOR fez distinção entre os egípcios e os israelitas. Êxodo 11.7


E além da dignidade promete e promove redenção, através do sangue de um cordeiro ou cabrito:


Tomarão do sangue e o porão em ambas as ombreiras e na verga da porta, nas casas em que o comerem; Êxodo 12.7


Porque, naquela noite, passarei pela terra do Egito e ferirei na terra do Egito todos os primogênitos, desde os homens até aos animais; executarei juízo sobre todos os deuses do Egito. Eu sou o SENHOR. sangue vos será por sinal nas casas em que estiverdes; quando eu vir o sangue, passarei por vós, e não haverá entre vós praga destruidora, quando eu ferir a terra do Egito. Êxodo 12.12,13

Tomai um molho de hissopo, molhai-o no sangue que estiver na bacia e marcai a verga da porta e suas ombreiras com o sangue que estiver na bacia; nenhum de vós saia da porta da sua casa até pela manhã. Porque o SENHOR passará para ferir os egípcios; quando vir, porém, o sangue na verga da porta e em ambas as ombreiras, passará o SENHOR aquela porta e não permitirá ao Destruidor que entre em vossas casas, para vos ferir. Êxodo 12.22,23

Enfim, essa praga viria para instituir a Páscoa e humilhar os orgulhosos egípcios e suas divindades. Um grande quebrantamento iria acontecer:


Então, todos estes teus oficiais descerão a mim e se inclinarão perante mim, dizendo: Sai tu e todo o povo que te segue. E, depois disto, sairei. E, ardendo em ira, se retirou da presença de Faraó.
Êxodo 11.8

Aconteceu que, à meia-noite, feriu o SENHOR todos os primogênitos na terra do Egito, desde o primogênito de Faraó, que se assentava no seu trono, até ao primogênito do cativo que estava na enxovia, e todos os primogênitos dos animais. Levantou-se Faraó de noite, ele, todos os seus oficiais e todos os egípcios; e fez-se grande clamor no Egito, pois não havia casa em que não houvesse morto. Então, naquela mesma noite, Faraó chamou a Moisés e a Arão e lhes disse: Levantai-vos, saí do meio do meu povo, tanto vós como os filhos de Israel; ide, servi ao SENHOR, como tendes dito. Levai também convosco vossas ovelhas e vosso gado, como tendes dito; ide-vos embora e abençoai-me também a mim. Os egípcios apertavam com o povo, apressando-se em lançá-los fora da terra, pois diziam: Todos morreremos.
Êxodo 12.29-33

CONCLUSÃO
Os governantes do Egito realmente que se auto denominavam de deuses, filhos de Rá se vêem em desespero clamando e insistindo pela saída dos hebreus.

Aprenderam de forma amarga que terrível coisa é cair nas mãos do Deus vivo, aquele que quando julga, julga completamente; aprenderam que Deus era o Senhor e Seu nome ficou anunciado em toda a terra; aprenderam que o Deus de Israel é o único que tem poder de morte e de vida. 

Além disso, não poderíamos deixar de pontuar a misericórdia e o cuidado de Deus para com seu povo.

Em todas as manifestações de juízo aos deuses pagãos, vemos claramente as manifestações das misericórdias para com o seu povo. Quando observamos que de tudo que sobreveio aos egípcios, Deus guardou o seu povo. Desde a primeira praga até a última. 

Isso nos mostra o quanto é importante estarmos guardados no esconderijo do altíssimo. Se em nossa vida tiver o sinal do Sangue do Cordeiro, o anjo da morte passará e não nos tocará. Com isso fica bem claro que, o que sucede ao ímpio, não sucede ao justo:


Pois ele te livrará do laço do passarinheiro e da peste perniciosa. Cobrir-te-á com as suas penas, e, sob suas asas, estarás seguro; a sua verdade é pavês e escudo. Não te assustarás do terror noturno, nem da seta que voa de dia, nem da peste que se propaga nas trevas, nem da mortandade que assola ao meio-dia. Caiam mil ao teu lado, e dez mil, à tua direita; tu não serás atingido. Salmo 91.3-7


Por Amauri Bella Rodrigues
Tecnologia do Blogger.