Os jumentos de Betfagé


“E, se alguém vos disser alguma coisa, respondei-lhe que o Senhor precisa deles. E logo os enviará” - Mateus 21.1-11

Para toda a Cristandade hoje inicia a semana na qual o Senhor Jesus se entregou, para ser crucificado na cruz do Calvário, a fim de expiar o pecado dos pecadores que por Ele seriam salvos. 

Neste domingo nos lembramos de sua entrada triunfal na cidade de Jerusalém para cumprir os eternos decretos de Deus que haviam sido ditos pela boca do profeta Zacarias 9.9: “Dizei à filha de Sião: Eis aí te vem o teu Rei, humilde, montado em jumento, num jumentinho, cria de animal de carga.” 


A entrada do nosso Senhor Jesus Cristo, em Jerusalém não aconteceu com um aparato de exércitos e seus instrumentos musicais. Foi de maneira simples e humilde. E por ser humilde o Senhor escolheu criaturas humildes através das quais pudesse entrar na cidade. 

Ele entra montado num jumentinho. E o que isso nos ensina neste dia comemorativo, celebrativo? Algumas lições importantíssimas poderemos aprender ainda hoje:

1 – A NECESSIDADE JESUS, O REI DOS REIS, ANTES REVESTIDO DE PODER E GLÓRIA

a) Como Deus entre os homens. Não podemos, nunca, desassociar a divindade da humanidade de Jesus Cristo. Ele nunca lançou mão da Sua divindade, nesta terra, para motivos particulares, no entanto, Paulo nos diz em Filipenses 2.6,7 que “subsistindo em forma de Deus, não julgou como usurpação o ser igual a Deus...a si mesmo se esvaziou, assumindo a forma de servo, tornando-se em semelhança de homens; e reconhecido em figura humana”.

Como Deus todas as glórias do universo estavam à sua disposição. 

b) Como Homem entre os homens. Apesar de ser verdadeiramente homem e verdadeiramente Deus, o Senhor Jesus usa daquilo que era mais simples para as suas necessidades humanas. Ele, nesta terra precisou apenas de pão, água e um canto para repousar o seu corpo para dormir, ou descansar. 

2 – AS COISAS SIMPLES DAS QUAIS ELE LANÇOU MÃO SUA NA VIDA TERRENA

a) As coisas mais simples. O jumento era um animal de carga, simples e humilde. No entanto, o Senhor o usou para o ato mais importante na vida de Jerusalém a fim de cumprir a profecia.

Como sabemos, nem a entrada da arca da Aliança, a toque de poderosos instrumentos musicais e com Davi dançando à sua frente foi tão importante como neste grandioso e glorioso dia quando apenas a multidão humilde cantava Hosana ao Filho de Deus. A grandiosidade de Davi com a arca perdeu totalmente a sua beleza com a entrada do Senhor da glória.


b) A lição que dEle aprendemos. Quando na casa da amada de Betânia, Marta se afadigava em preparar coisas boas para a refeição dEle. No entanto, o Senhor disse a ela que apenas uma coisa bastava. Paulo, que aprendera do Senhor, também se dispôs em dizer que: “Tendo sustento e com que nos vestir, estejamos contentes.” (I Tm 6.8). 

II – O QUE O SENHOR JESUS NOS ENSINA USANDO HUMILDES JUMENTINHOS?

a) Que para Ele tudo tem relevância: Os seres humanos vêm na grandiosidade das coisas o sentido, o significado de tudo, Deus em Cristo Jesus se contenta em usar das coisas humildes dando-lhe grande relevância. Por isso, nenhum de nós, por mais humilde que seja tem direito de dizer que Deus o despreza e não o usa.

b) Que para Deus todos são convocados para o trabalho: Paulo escreve que “Deus escolheu as cousas humildes do mundo, e as desprezadas, e aqueles que não são, para reduzir a nada as que são.” (I Co 1.26-29), mostrando que, apesar da nossa humildade e simplicidade

Ele nos usa não levando em conta o que possuímos, o que somos, apenas, instrumentos dóceis em suas poderosas mãos. Jesus usou a simplicidade de um jumentinho e tantas outras coisas humildes deste mundo. E hoje ele usa cada um de nós.

------------------------------------
Antonio Coine é Pastor Emérito da Igreja Presbiteriana Monte Sião (Botucatu), atuando como ministro há 40 anos na Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pela Faculdade de Teologia da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil - SP. Licenciado em Filosofia. Mestre em Divindade e Doutor em Ministério pelo Seminário do Canadá em Manitoba/CA. Foi pastor da Igreja Presbiteriana do Canadá e missionário dessa denominação entre os povos de Língua Portuguesa, quando plantou a Igreja Presbiteriana de Língua Portuguesa do Presbitério West Toronto, IPC que foi organizada em outubro de 1988. É autor do livro "Das Sagradas Escrituras - Uma coletânea de esboços de sermões para um ano litúrgico - Vol. 1".

Tecnologia do Blogger.