Fomos derrotados!



Finalmente acabou! Paira no ar uma sensação de alívio, de silêncio, de paz. Pelo menos por dois anos, não viveremos a mediocridade manifesta na política brasileira. E hoje, independentemente da apuração das eleições, podemos constatar que fomos derrotados nessa eleição. Não importa se o candidato que você apoiou ou votou foi eleito ou não. TODOS NÓS FOMOS DERROTADOS!

Derrotados ao vermos uma política estabelecida nos desejos egocêntricos, na qual não se discute propostas, mas estratégias eleitoreiras.

Derrotados por vermos candidatos que extrapolaram todo e qualquer senso do ridículo e se candidataram à eleição porque são pastores, padres, gays, artistas, ex-jogadores de futebol, advogados, professores etc. Outros, que se apesentaram como Batman, Rambo, Mulher Pera, “Cristo”, Bob Esponja, Seu Madruga, Wolverine, Mister Bean, além dos nomes pornográficos que, por questões éticas e morais, não os citarei.

Derrotados ao vermos acusações de pesquisas falsificadas, roubos, acertos nos bastidores, crimes eleitorais, sexuais etc.; todas elas sem nenhum tipo de investigação, nem antes nem durante e muito menos após as eleições, quando tudo parece entrar na bonança que sucede a tempestade.

Derrotados ao vermos os púlpitos evangélicos trocarem a maravilhosa mensagem do Evangelho de Jesus Cristo por apelos (ou melhor, apelação) que constrangeram os fiéis a votarem nos candidatos a quem seus pastores e líderes prometeram os votos e apoio – creio que devido à “seriedade” com que tratam a Palavra de Deus, os membros da Igreja e seu próprio ministério. Perdemos mais ainda ao vermos o culto de adoração a Deus ser corrompido com propaganda política.

Fomos derrotados ao vermos que inúmeras amizades, muitas vezes de longos anos, foram desfeitas por motivos político-partidários.

Fomos derrotados ao constatarmos milhares de desempregados, muitos deles, idosos que passam necessidades constantes, e outros, jovens sem nenhuma perspectiva de vida, ficarem prostrados com frio ou calor insuportável, em avenidas e ruas, com bandeiras de candidatos que demonstraram total e absoluta falta de respeito e valorização da dignidade humana.

Fomos derrotados ao vermos que, mesmo na qualidade de candidatos, muitos exercitaram o que queriam fazer na cidade: emporcalhá-la, promovendo e esparramando o lixo por ruas, avenidas e calçadas que “sumiram” (quase que literalmente) debaixo de folhetos e “santinhos”.

Fomos derrotados ao vermos eleitores decidindo seu voto por vantagens pessoais imediatas, tais como gasolina, cesta básica, promessas de empregos, festas, bebidas etc., esquecendo-se de que a sociedade não mudará, a não ser que ele, cidadão, mude e vote, conscientemente, nas melhores propostas de transformação e desenvolvimento social.

Fomos derrotados porque nada disso é novidade. Ao contrário, dizem muitos que “a política é assim mesmo”. Não, não é! Não precisamos viver eternamente derrotados em cada campanha política. Precisamos alcançar a vitória.

Vitória moral e ética, escolhendo candidatos e elegendo-os por já demonstrarem padrão condizente com a liderança à qual se candidataram.

Vitória social, elegendo as melhores propostas para o desenvolvimento e valorização do ser humano individualmente, através da educação excelente, da capacitação profissional, e coletivamente através da efetiva oportunidade de empregos, da segurança, da saúde e da vida.

Para alcançarmos a vitória, precisamos mudar a postura. Alguém já disse que mudar a realidade com as mesmas práticas é, no mínimo, um exercício de imbecilidade. E, apesar de muitos politiqueiros (não os verdadeiros políticos, mas os falsos e interesseiros) acharem que somos imbecis, não o somos e podemos provar isso, mudando a mentalidade e o exercício da cidadania consciente. Só assim não seremos mais derrotados pela política suja e perversa que assola esta nação.

Precisamos mudar agora! Em suas orações, interceda pela vida de cada um dos representantes eleitos, para que eles, conscientes da autoridade concedida por Deus, exerçam seu mandato promovendo o bem da sociedade e dos menos favorecidos.

Seja um cidadão vitorioso – Diga não à mediocridade!

Rev. Francirlei Ferreira Elias 
Tecnologia do Blogger.