Perigosos passos para negarmos o Senhor



Diz o Rev. J. C. Ryle que “um naufrágio é uma visão melancólica, mesmo quando nenhuma vida se perde. No entanto, nem sequer um naufrágio é tão melancólico quanto ver um verdadeiro crente escorregar e cair em pecado”.

A experiência do apóstolo Pedro ilustra esta importante verdade: Que um servo de Deus não chega a negar o Seu Senhor senão através de um trágico processo de queda espiritual. Paulo escreveu: “Aquele, pois, que pensa estar em pé veja que não caia” (1Co 10.12).

O Senhor havia falado com o apóstolo Pedro sobre a inutilidade de confiar em si mesmo, o que é uma temeridade, pois as lutas contra o poder das trevas é muito intensa e é preciso a ajuda do Senhor para enfrenta-las e vencê-las.

Vejamos os passos da queda de muitos conforme registra Lucas.


I – Primeiro Passo: O PERIGO DE DESCONSIDERARMOS O PODER DAS TREVAS

1. Em Lucas 22.31-33 há uma informação muito séria do Senhor Jesus para com Pedro. Satanás havia reclamado o discípulo para peneirá-lo, prová-lo.

2. Na Bíblia Mensagem o Revdo. Eugene Peterson traduz o seguinte: “Simão, fique firme! Satanás fez o que pôde para separar você de mim, assim como se separa a palha do trigo, mas orei por você em particular, para que você não desanime nem desista” (v.31,32a).

3. No entanto, o Senhor Jesus se colocou como seu intercessor, seu defensor. Assim Ele, continuamente faz conosco lá do céu.

II – Segundo Passo: O PERIGO DE ACHAR QUE SOMOS AUTO-SUFICIENTES

1. No mesmo texto, nos versos 33 e 34, Pedro afirma que estava pronto a ir à prisão ou até mesmo às raias da morte, caso fosse necessário. “Pedro disse: Senhor, estou pronto para qualquer coisa. Eu iria para a cadeia por ti. Eu morreria por ti!”. (B. Mensagem)

2. Na realidade todos nós estamos dispostos a enfrentar a morte por amor a Cristo nosso Senhor, mas muitos acabam se assustando no meio de situações imprevisíveis que os tomam de surpresa, mesmo que não sejam as de colocar em risco a própria vida.

III – Terceiro Passo: O PERIGO DO ABANDONO DA VIDA DE ORAÇÃO

1. Lucas 22.39-40, 45-46 nos informa que no meio de profunda dor e tribulação o Senhor Jesus foi para o Getsêmani a fim de orar.

2. Pedro e os demais discípulos, ou seja, João e Tiago que estavam com Ele acompanhando o Senhor Jesus adormeceram. Diz-nos Lucas que estavam entorpecidos de tristeza.

3. O Senhor os repreende para que estivessem sempre orando e também vigiando a fim de poderem enfrentar e suportar a tentação: “Ele os censurou: ‘Por que estão dormindo? Levantem-se! Orem, para que não caiam em tentação’” (v.45).

IV – Quarto Passo: O PERIGO DE USARMOS AS ARMAS MUNDANAS

1. Mais uma vez Lucas 22.47-51, nos mostra esses tenebrosos passos para a negação e aqui nos informa que Pedro no momento em que Judas entrega o Senhor tira uma espada e fere um dos servos do sumo sacerdote, mas é repreendido por Jesus.

V – Quinto Passo: O PERIGO DE SEGUIRMOS O SENHOR DE LONGE

1. Lucas 22.54 nos mostra Pedro seguindo de longe. “Pedro seguiu o grupo, mas a uma distância segura” (BM).

2. Há muita gente que gosta do Senhor, que O ama, mas que, no entanto O quer longe, distante, (que universo de ideias poderemos deduzir desta atitude), -- e isso poderá trazer consequências drásticas, como foi o caso, aqui registrado, com o apóstolo Pedro.

VI – Sexto Passo: O PERIGO DE NOS ASSENTARMOS À RODA DOS IMPENITENTES

1. Lucas 22.55 nos diz que Pedro tomou assento entre os que haviam prendido o Senhor.

2. É triste quando vemos os crentes se assentarem junto dos escarnecedores, dos impenitentes, dos que zombam do Senhor sem nenhuma palavra de defesa a favor dEle.

3. Ser testemunha de Cristo é estar perante o tribunal do mundo falando a favor dEle. E isso Pedro não o fez, pelo contrário.

VII – Sétimo Passo: O PERIGO DE COMPROMETERMOS A NOSSA FÉ

1. Lucas 22.56-62 nos fala que Pedro, quando interrogado por pessoas simples e humildes até, mostrou-se medroso, temeroso e de maneira irracional passou a negar a sua fé no Senhor e até a praguejar.

2. É triste quando chegamos a este ponto. Isto pode acontecer conosco quando não levamos a sério a nossa fé no nosso Senhor.

3. O resultado triste foi que após negar o Senhor por três vezes o galo cantou, e Pedro, lembrando-se da palavra do Senhor saiu dali arrasado e chorou amargamente.

Conclusão
1. Pedro se enfiou na tentação onde se saiu mal.

2. Como está a sua vida hoje? Confiante em si próprio, achando-se muito forte para por si próprio suportar as tentações e enfrentar o arqui-inimigo de Deus e das nossas almas?

3. Estar junto dos irmãos em humildade e aos pés de Cristo em oração é o melhor conselho que a Palavra de Deus nos dá hoje.

4. Mas como as coisas não ficaram assim para o apóstolo Pedro dando-nos a impressão que tudo acabou mal, bem sabemos conforme o Evangelho nos revela que o final foi glorioso para ele.

5. Por isso gostaríamos de meditar com você. no próximo sermão sobre: "O Tribunal de Jesus e a Sentença da Graça".

------------------------------------
Antonio Coine é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil há 40 anos. Formado em Teologia pela Faculdade de Teologia da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil - SP. Licenciado em Filosofia. Mestre em Divindade e Doutor em Ministério pelo Seminário do Canadá em Manitoba/CA. Foi missionário da Igreja Presbiteriana do Canadá, plantando e pastoreando a Dovercourt-Saint Paul’s Presbyterian Church.

Tecnologia do Blogger.