O cristão e seus adornos


Não seja o adorno das esposas o que é exterior... seja, porém, o homem interior do coração... que é de grande valor diante de Deus - 1Pedro 3:3-4. 

"Mamãe o que vestirei hoje? Posso usar meu vestido novo? E meu cabelo, está bom?". Semelhantes perguntas são comuns nas casas onde as meninas estão crescendo. Certamente que o apóstolo Pedro não pretende combater totalmente o interesse nas jóias, no penteado do cabelo ou do vestido. 

Não sugere que saiamos vestidos com a maior sobriedade possível, nem com o cabelo despenteado, nem com os vestidos sujos e rasgados. Pedro escreve estas palavras precisamente porque está interessado na beleza.

Porém deve ser um verdadeiro adorno, não da classe social que se escraviza às jóias e aos vestidos. Ele deseja algo mais que a aparência, mesmo sabendo que não podemos ignorá-la.


A aparência deve expressar a beleza interior da alma, a alma que expressa pelas coisas externas a verdadeira mansidão e a quietude do espírito. Certamente que nós podemos usar todo o dom de Deus, assim como a beleza do cabelo e das jóias para dar expressão ao nosso rosto e ao nosso corpo. 

Expressar orgulho e vaidade não vai bem com um cristão; tal "beleza" é corruptível e superficial. A beleza que nasce em nosso coração pela comunhão com Deus é cara e preciosa. Não pode ser comprada nem nas melhores lojas. Não está à venda. Não se pode mandar fazer em uma fábrica mesmo pagando muito dinheiro.

Este espírito manso aumenta, dia após dia, a nossa beleza espiritual. Que o Senhor, que vê a verdadeira beleza, olhe para nós com misericórdia porque muitas vezes nos contentamos apenas com a beleza exterior. Que Ele nos ajude a vestir-nos também com a verdadeira beleza da santidade.

-----------------------------------------
Carlos Roberto Teles, é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul no ano de 1987. Foi ordenado pastor em 31 de janeiro de 1988.
Tecnologia do Blogger.