Um nome a ser honrado e glorificado


“Ora, o traidor tinha-lhes dado esta senha: Aquele a quem eu beijar, é esse, prendei-o, e levai-o com segurança.” - Marcos 14:44. 

Não se gosta de dar nome de Judas às crianças hoje em dia. É muito difícil encontrarmos alguém com esse nome. Porque será? É um nome lindo, seu significado bíblico é “louvor e glória”.

Este nome era muito popular e honrado entre o povo de Israel, até o dia em que certo homem o desonrou por um ato de traição. Desde então, o nome de Judas tornou-se sinônimo de traição.



A palavra de cinismo jorra indecente e fria dos seus lábios. Nestes estala o beijo da traição. “Aquele a quem eu beijar é esse, prendei-o e levai-o com segurança” como se Jesus fosse um bandido perigosíssimo . 

Que palavras infames! Quanta torpeza, indignidade e desonra nelas se encontram! 

Como Judas, temos o mesmo poder. Podemos privar um nome do seu verdadeiro significado e transformá-lo num insulto aos outros. Sou membro de uma Igreja, de uma comunidade dos filhos de Deus.

Alguns nomes estão envolvidos nesta minha participação. Sou um “cristão”, “evangélico”, presbiteriano (em nosso caso), e, para mim, cada uma dessas palavras encerram um tesouro das mais preciosas experiências espirituais.

Não obstante, para muitos a simples menção dessas palavras ou desses “nomes” é motivo de escárnio, zombaria e expressões abusivas. Estes têm tirado dessas palavras ou nomes o seu verdadeiro sentido.

Porém, muitas das vezes isto acontece por culpa daqueles que se rotulam com esses nomes e não os honram como foi no caso de Judas. 

Que fato solene é sabermos que temos o mesmo poder de Judas, isto é, o de tirar ao mais lindo nome o seu real significado.

Todavia, a despeito daqueles que desonram, podemos nós, com o poder de Deus e de Seu Santo Espírito, defendermos, valorizarmos e fazer valorizar com o nosso testemunho de vida, em primeiro lugar o nome de Cristo (cristão), e, na seqüência o termo “evangélico” que hoje está tão desgastado e ofuscado pelos falsários; e, porque não também o termo ou o nome de Presbiteriano que ao longo dos anos tem sido uma Igreja fiel ao Senhor Jesus Cristo? 

Depende de nós e do nosso testemunho a glorificação do nome de Jesus e a valorização dos nomes “evangélicos e presbiterianismo”. Pense nisso.

-----------------------------------------
Carlos Roberto Teles, é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul no ano de 1987. Foi ordenado pastor em 31 de janeiro de 1988.
Tecnologia do Blogger.