Crer para ver


“Porque me viste, Tomé, creste. Bem-aventurados os que não viram e creram” - João 20:29

Crendice é um religiosíssimo popular sem fundamento algum e absurdo; algo baseado unicamente na superstição, que nada mais que uma espécie de temor ignorante que conduz o homem ao cumprimento de falsos deveres motivados por falsas razões. 

A crença, quando bíblica, fundamenta-se na pessoa de nosso Senhor Jesus Cristo. Portanto, nós que dizemos que cremos em Cristo, afirmamos com as nossas palavras que temos fé em tudo quanto Ele representa para nós, e, mais que isto, damos a esta fé uma verdadeira expressão prática. Crer é confiar, e esperar de Jesus e com sólida convicção. 


A fé é a atitude mediante a qual o homem abandona toda confiança em seus próprios esforços para obter a salvação. A fé é o único meio pelo qual obtemos de Cristo a nossa salvação. Não nos devemos esquecer de que há certo conteúdo intelectual na fé. 

A fé salvadora é algo que brota da nossa percepção que é despertada pela ação do Espírito Santo em nós, que nos põe a pensar (Jo.5:24). Não consiste meramente em aceitar certas coisas como verídicas, consiste sim, e fundamentalmente, em confiar numa pessoa: Jesus Cristo. Consiste em crer naquele que ressuscitou dentre os mortos a Jesus, nosso Senhor (Rm.4:24).

Quando um pecador chega a exercer a fé, entrega-se decisivamente a Cristo. Como nos dias de Tomé, há hoje, e jamais deixarão de existir, os que se mantém afastados da verdadeira religião simplesmente porque querem viver a sua vida. 

São os extremamente ocupados. São os despreocupados. São os moralmente bem formados. São os que perderam completamente a capacidade de crer por causa de falhos conceitos religiosos; falsos, maníacos, infantis. 

O tempo urge e é necessário que corrijamos o erro onde quer que ele se apresente, dentro ou fora da nossa Igreja. Não estamos mais na época do “ ver para crer”. Hoje somos bem-aventurados, estamos portanto, na época do “crer para ver”; para ver o grande e maravilhoso dia em que Cristo voltará para nos levar consigo, e isto, após a nossa ressurreição. 

Por enquanto, a nossa fé é o elemento essencial que nos põe em comunicação com Deus. Mantenhamos firmes nessa fé em todo o transcorrer deste novo ano e veremos maravilhas . 

-----------------------------------------
Carlos Roberto Teles, é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul no ano de 1987. Foi ordenado pastor em 31 de janeiro de 1988.
Tecnologia do Blogger.