Ouvindo, com desconfiança, a voz de Deus no jardim


E chamou o SENHOR Deus ao homem e lhe perguntou: Onde estás? Ele respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi... - Gênesis 3.1-24

Neste II Domingo do Advento somos convidados a refletir sobre a seriedade do Pecado dos nossos primeiros pais, e, consequentemente nosso, pois foi ele o culpado da cruenta morte do nosso Senhor e Salvador Jesus Cristo.


Vemos neste triste texto, que, depois que os nossos primeiros pais caíram em consequência da desobediência, a maneira como se comportaram, para com Deus e um para com o outro.

O SENHOR Deus, que na viração do dia costumava visitá-los e era para eles a maior alegria do Éden, como um filho que aguarda ansiosamente seu pai após um dia de trabalho, tornou-se uma presença nada desejável. Isto porque agora, contaminados pelo pecado, nada mais viam de bom e de agradável: Certamente morreram no seu espírito, na sua alma.

Três Grandes Males se instalaram em Adão e Eva, e, consequentemente, em toda a humanidade: vergonha, medo e acusação. Por isso, a partir de então: Ouvem, com desconfiança, a voz de Deus.

1 - O primeiro grande mal que se instalou em nossos pais foi a vergonha

Abriram-se, então, os olhos de ambos; e, percebendo que estavam nus, coseram folhas de figueira e fizeram cintas para si.” (v.7) Abriram-se...os olhos... Coseram folhas de figueira... Fizeram cintas para si.

O primeiro acontecimento foi o fato de o pecado revelar-lhes a nudez, não só do corpo, mas da alma. A malícia estava instala, pois o pecado vem com um poderoso pacote de coisas imprestáveis. Por isso é uma ruína.

Eles precisaram usar da inteligência para habilidosamente costurarem folhas de figueira e fazerem vestimentas para cobrir as partes pudicas. Por outro lado os vemos se envergonharem de Deus quando se esconderam para Ele não os ver na nudez de suas almas contaminadas agora, pelo pecado.

O Natal de Jesus nos ensina que Ele veio para morrer por nós e nos libertar dessa grande vergonha.

2 - O segundo grande mal que se instalou em nossos pais foi o medo
Quando ouviram a voz do SENHOR Deus, que andava no jardim pela viração do dia, esconderam-se da presença do SENHOR Deus, o homem e a sua mulher, por entre as árvores...Ele [Adão] respondeu: Ouvi a tua voz no jardim, e, porque estava nu, tive medo, e me escondi.” (vv 8,10)

O pecado é uma coisa vergonhosa, por isso é praticado às escondidas. Por isso, depois de feito a primeira atitude da pessoa é a de esconder-se de medo. Foi isso que os nossos pais sentiram para com o Senhor; medo dEle. Jesus morrendo retirou de nós o medo da presença do Pai, pois nos reconciliou com Ele (Rm 5.1)

3 - O terceiro grande mal que se instalou em nossos pais foi o da acusação
“Então, disse o homem: A mulher que me deste por esposa, ela me deu da árvore, e eu comi....Respondeu a mulher: A serpente me enganou.” (vv 12,13)
O Homem Acusa Deus e a Mulher: “A mulher que me deste...” Esta foi uma atitude irresponsável e mesquinha. Irresponsável porque se mostrou mal-agradecido e, mesquinha por falta de amor à sua mulher.

A Mulher Acusa Deus e a Serpente: “A serpente me enganou.” Esta também foi uma atitude irresponsável. Eles sabiam muito bem que “Dele [fruto] não comereis, nem tocareis...” (v. 3b)

Transferência de responsabilidade seria a descrição mais exata.

4 - A maior de todas as bênçãos: a primeira profecia
“Fez o SENHOR Deus vestimentas de peles para Adão e sua mulher e os vestiu."

Para vesti-los, cobri-los foi necessário o sacrifício do primeiro animal, pois sem derramamento de sangue não há remissão de pecados. Assim, o protótipo do sacrifício de Jesus Cristo, foi realizado no Éden.

“Porei inimizade entre ti e a mulher, entre a tua descendência e o seu descendente. Este te ferirá a cabeça, e tu lhe ferirás o calcanhar.” (v 15)

Aquele que fez com que nossos primeiros pais se desviassem, cuja função é matar, roubar e destruir estava, a partir de então com seus dias contados. O Redentor da Humanidade, Jesus Cristo, triunfalmente lhe esmagaria a cabeça da serpente na Cruz do Calvário.

Que neste Natal possamos refletir naquilo que o Senhor Jesus, Deus Encarnado, Emanuel, veio fazer em favor de nós, miseráveis pecadores.

------------------------------------
Antonio Coine é Pastor Emérito da Igreja Presbiteriana Monte Sião (Botucatu), atuando como ministro há 40 anos na Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pela Faculdade de Teologia da Igreja Presbiteriana Independente do Brasil - SP. Licenciado em Filosofia. Mestre em Divindade e Doutor em Ministério pelo Seminário do Canadá em Manitoba/CA. Foi pastor da Igreja Presbiteriana do Canadá e missionário dessa denominação entre os povos de Língua Portuguesa, quando plantou a Igreja Presbiteriana de Língua Portuguesa do Presbitério West Toronto, IPC que foi organizada em outubro de 1988. É autor do livro "Das Sagradas Escrituras - Uma coletânea de esboços de sermões para um ano litúrgico - Vol. 1".

Tecnologia do Blogger.